Resenha || A rebelde do deserto | Alwin Hamilton | Seguinte


A rebelde do deserto

Alwyn Hamilton

Título original: Rebel of the Sands
Gênero: YA/fantasia/faroeste
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 288
Edição: 2016
Avaliação: ★★★★ ★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por revelar a ela o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.
Olá, gente!
Eu inicio esse texto dizendo que adorei ler esse livro. E estou muito animada para continuar acompanhando essa série ( A rebelde do deserto é o primeiro livro de uma série de mesmo nome). Acho que vocês também vão ficar animados para conferir essa história. A rebelde do deserto tem um casamento muito interessante entre faroeste e fantasia.

Mas não foi a mistura de gêneros que me conquistou. Foi a protagonista. Ela é o grande destaque dessa narrativa. Além disso, Hamilton tem uma escrita deliciosa, com um jogo de palavras que faz com que a protagonista tenha uma personalidade marcante.

Mas o quê a protagonista tem de tão especial? Ela é uma jovem de dezesseis anos numa sociedade extremamente machista, misógina. Como eu já falei, a jovem protagonista se destaca por sua personalidade forte, inteligente e por suas ações ousadas, mas principalmente pela conscientização da dimensão política, ao longo da obra. Ela deixa de pensar somente nela para olhar para outras pessoas que também vivem oprimidas.

Parceria || Autor Angelo Asson | Divagando em Vagão

Olá leitores, é com muita alegria que apresento a vocês hoje o nosso novo parceiro e seu projeto super bacana! Vem comigo conhecer o Angelo, escritor do Divagando em Vagão.
"Haja coração! Hora do rush é casa cheia, amigo. É teste pra cardíaco! Soa a campainha, fecham-se as portas e começa o espetáculo! Aperte o seu daí, que eu aperto o meu daqui! Segurar? Pra quê? Se apoia no calor humano" [Trecho do livro Divagando em Vagão]. 


Este é Angelo Asson, natural de São Paulo/Capital, mora na Z. Sul, Vila Clementino. É o filho mais novo de três irmãos. Passou a infância no bairro do Ipiranga até os 8 anos. Trabalha há mais de 20 anos com edição de arte em revistas, tendo trabalhado em várias editoras e revistas como a Contigo, Minha Novela, Sexy, Bizz, etc. Atualmente trabalha na editora Mymag, onde faz revistas customizadas para empresas, blogs e a recém-lançada revista Miolo.


Escrever para Angelo foi uma espécie de herança genética, já que o pai também escrevia e escreve até hoje. De letra de músicas a poesias, ele tentou de tudo, mas foi com as crônicas do Divagando em Vagão que os seus rascunhos finalmente se tornaram um projeto real e cheio de vida.

Agora que já conhecemos um pouquinho do nosso autor, vamos ver de onde surgiu a inspiração para o livro que começou a ser escrito em agosto de 2015 e deve ser publicado no segundo semestre deste ano com apoio da Editora Mymag

Depois de trabalhar em vários lugares onde não havia estação de metrô nas proximidades, hoje, finalmente, ele trabalha a duas quadras da estação Fradique Coutinho. Numa das vezes em que estava subindo a rua para embarcar na estação Santa Cruz veio a ideia de escrever um livro de crônicas sobre o metrô e seus usuários.

Resenha || Mar de Rosas | Nora Roberts | Arqueiro


Mar de Rosas

Mar de Rosas

Nora Roberts

Título original:  Bed of Roses
Gênero: Romance
Editora: Arqueiro 
Número de Páginas: 288
Edição: 2014
Avaliação: ★★★★
Sinopse: Emma Grant é a decoradora da Votos, empresa de organização de casamentos que fundou com suas três melhores amigas de infância – Mac, Parker e Laurel. Ela passa os dias cercada de flores, imersa em seu aroma, criando e montando arranjos e buquês. Criada em uma família tradicional e muito unida, Emma cresceu ouvindo a história de amor dos pais. Não é de espantar que tenha se tornado uma romântica inveterada, cultivando um sonho desde menina: dançar no jardim, sob a luz do luar, com seu verdadeiro amor. 
Os pais de Jack se separaram quando ele era garoto, e isso lhe causou um trauma muito profundo. Ele se tornou um homem bonito e popular entre as mulheres, porém incapaz de assumir um compromisso. 
Quando Emma e suas três amigas fundaram a Votos, foi Jack, o melhor amigo do irmão de Parker, quem cuidou de toda a reforma para transformar a propriedade no melhor espaço para casamentos do estado. 

"Sabia exatamente que tipo de amor queria, um amor que se infiltra nos ossos, se enraíza no coração e floresce no corpo. Queria um amor que durasse para sempre (...), queria casa, família, brigas, conforto, sexo, tudo."

  Emmaline Grant é uma romântica incurável, e não quer nada menos que um amor para a vida inteira, um amor lindo e verdadeiro, como os de seus pais. Seu maior sonho? Ser beijada sob a luz do luar pelo homem de sua vida; homem esse que ainda não apareceu, mas para ela isso é questão de tempo.

Decoradora da Votos, Emma tem um jeito especial com as flores, e consegue criar arranjos perfeitos e únicos para cada evento. Trabalhar com as 3 melhores amigas em algo que ama tanto a faz muitíssimo feliz, mesmo quando as amigas teimam em se meter na quantidade de encontros, pretendentes e ex namorados de Emma. Que culpa ela tem de não ter encontrado seu príncipe? O jeito é continuar procurando... 

Voltando de uma festa noturna, a bateria de seu carro morre, e quem lhe salva é Jack Cooke, arquiteto e amigo de infância do quarteto, quase um irmão para Delaney, irmão de Parker. Então, por quê eles de repente se sentem tão atraídos um pelo outro? Por quê Jack, de uma hora para outra, prestou atenção nela, e ela nele? Acontece que, em segredo, já nutriam um sentimento que vem da adolescência. Agora, como lidar? 

Jack, um homem que não gosta de compromisso sério; Emma, uma romântica assumida que quer o pacote completo: casar, ter filhos e um "juntos para sempre".

Resenha || Seis Segundos de Atenção | Humberto Gessinger | Editora Belas-Letras


Seis Segundos de Atenção

Humberto Gessinger

Gênero: Crônicas
Editora: Editora Belas-Letras
Número de Páginas: 168
Edição: 2013
Avaliação: ★★★★★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: A única coisa que podemos fazer com o tempo é escolher o que fazer com ele. Na busca pela faísca da criação, que ele persegue pelas noites como uma estrela guia, Humberto Gessinger nos mostra em seu novo livro de crônicas que fazer um segundo valer a pena leva tempo. Um tempo que, às vezes, não queremos ter. Um tempo que não podemos parar nem fazer andar mais rápido. Não é tão fácil quanto parece encontrar um instante mágico, o centro da nossa originalidade, do nosso talento, e manter a conexão com ele. Leva mais do que 600 anos de estudo. Leva 6 segundos de atenção.

Oi pessoal, tudo bem com vocês? Antes de começar a resenha de hoje vou trazer a definição de fã, segundo o dicionário:
Fã – s.f. Abreviação de fanático (“fan”); Admirador.
Bem, agora deixa eu explicar o porquê da definição: Sou muito fã do Humberto Gessinger, que por acaso do destino (mentira!) é o autor do livro que vou apresentar pra vocês hoje, tendo em vista tudo isso, adianto logo que TALVEZ haja uma espécie de exagero em relação a tudo que eu disser, ou não, então, bora ver no que dá?

Antes de qualquer coisa, meu ídolo merece um destaque especial: como a maioria já sabe Humberto Gessinger foi um dos fundadores da Banda Engenheiros do Hawaii, participou do projeto Pouca Vogal junto o Duca Leidecker, também músico e hoje vive, a meu ver, seu melhor momento de carreira solo. Além de todo esse talento para a música, o Humberto nos encanta também como escritor.
"Às pessoas que me pedem letras pensando que eu fiz sucesso por causa delas, eu gostaria de dizer que talvez eu tenha feito sucesso apesar delas. Aos que me pedem melodias achando que fiz sucesso por causa delas, gostaria de dizer que talvez eu tenha feito sucesso apesar delas. Aos que me pedem para tocar/cantar/escrever... mesma coisa. Se, impacientes, me perguntassem, afinal, por que fiz sucesso, eu diria que talvez não tenha feito". 

Resenha || Star Wars - Ascensão da força sombria | Timothy Zahn | Editora Aleph


Star Wars – Ascensão da força sombria

Timothy Zahn

Tradução: Fábio Fernandes
Gênero: Ficção científica
Editora: Aleph
Número de Páginas: 495
Edição: 2015
Avaliação: ★★★★
Sinopse: No segundo volume da consagrada Trilogia Thrawn, a luta de Luke, Han e Leia em defesa da Nova República continua. Mais uma vez, eles enfrentarão as tropas imperiais dissidentes, comandadas pelo poderoso grão-almirante Thrawn. Quando Talon Karrde é capturado por forças inimigas, Mara Jade relutantemente recorre à ajuda de Luke Skywalker, que é forçado a interromper seu treinamento com um curioso mestre para ampliar o domínio da força. Enquanto isso, Han Solo e Lando Calrissian seguem com suas investigações, a fim de descobrirem um possível traidor da Nova República. E, cumprindo a promessa feita a Khabarakh, Leia Organa viaja a Honoghr em busca de novos aliados contra a tirania de Thrawn.

"Há muito tempo, numa galáxia muito, muito distante..." 

Fala aí, galera! 
Bom, faz muito tempo que eu não trago uma resenha aqui para blog, não é mesmo?! Então estou de voltar e, muito bem, diga se de passagem. Volto com mais uma resenha da trilogia Thrawn, série Legends, que está inserida no Universo Expandido de Star Wars

"Star Wars ascensão da força sombria" é o segundo título da trilogia escrita por Timothy Zahn e publicado pela Editora Aleph, sendo a continuação direta de Herdeiro do império (resenha AQUI). Com a trama focada nos já conhecidos heróis - Han Solo, Leia e Luke - inicialmente tentando provar a inocência de Almirante Ackbar e, também, acabar com a influência de Fey’lya. Problemas estes relacionados com organização da Nova República.


Além disso, ainda há uma corrida entre o Império e Nova Republica para recuperar a frota Katana (composta por 320 naves classe Dreadnaught, perdidas havia meio século. Cada nave necessitando de mais de 100 homens para serem corretamente operadas). A Nova Republica precisa de novas naves para sua frota, assim como o Império.