Maxixe: gênero musical e formação cultural

Hoje vamos falar um pouco sobre música e formação cultural afro-brasileira.

Você sabe que que o gênero musical maxixe representa a formação da cultura afro-brasileira? Pois é!  A polca, gênero europeu, quando chegou ao Brasil, por volta dos anos 1844 e 1846, foi se misturando a elementos de raízes africanas e, assim, nasceu o maxixe.

E como esse processo de hibridação musical representa o processo de formação sociocultural brasileira?

Como já falei acima, a polca,  quando foi introduzida no Brasil, passa a receber influências africana e logo se torna um gênero altamente popular, executada tanto em ambiente sociais elevados como em ambiente de classes baixas.

Mas o maxixe não era chamado de maxixe. Era chamado de polca, mesmo não sendo mais polca. Depois foi nominado de tango brasileiro. E qual o motivo disso? 

Bom, é evidente que o motivo tem relação direta com fato da música ter influências dos negros. E por isso havia esses meios de negação.

Mais do que a negação das influência africanas, a história do desenvolvimento do gênero maxixe representa a tentativa do apagamento da identidade africana na formação social brasileira e a importância dessa identidade para a nossa sociedade.

Assim, o maxixe representa a cultura afro-brasileira por misturar elementos africanos a um outro gênero, a polca, transformando em um gênero novo, mas, principalmente, por ser produzido, composto por afrodescendentes e, por, posteriormente, ter possibilitado a formação de gêneros musicais esteticamente de qualidade,  como: o chorinho, a bossa nova e a MPB.

Leia a resenha de Um homem célebre, conto de Machado de Assis, em que eu abordo a questão da literatura negra ou afro-brasileira. Também falo um pouco mais sobre o maxixe.

Também convido você para ouvir Ernesto Nazareth. 





0 comentários:

Postar um comentário