Resenha de Horas Noturnas | Bianca Carvalho

Título: Horas Noturnas
Autora: Bianca Carvalho
Editora: EraEclipse
Edição: 1 (6 de janeiro de 2014)

Sinopse

"Um romance arrebatador e sensual entre um homem misterioso e uma mulher à frente do seu tempo; um suspense gótico e cheio de tensão do começo ao fim." 
Inglaterra, 1863 
Uma bela e delicada mulher com inteligência aguçada para investigação... 
Um charmoso caçador de assassinos tornando-se lenda por eliminá-los com requintes de crueldade... 
Um assassino que deixa charadas, com sede de sangue e um gosto peculiar por Edgar Allan Poe... 

Três almas unidas com diferentes propósitos. Apenas uma chance de sobreviver... 

Horas noturnas, de Bianca Carvalho, tem como cenário a Inglaterra de 1863. Há um assassino matando jovem moças. Ele deixa uma marca registrada: um punhal no peito da vítima, além de um bilhete contendo uma citação de Edgar Allan Poe e uma charada a ser desvendada. Para resolver esse mistério, a polícia conta com a ajuda do Ex-Inspetor da policial, Joseph Lestrange, melhor detetive da cidade.


Depois do assassinato de sua mulher, Lestrange deixou seu posto de Inspetor da policial. No entanto, dedica sua vida a investigar crimes que a polícias não consegue resolver. Para isso, ele conta com ajuda de sua única filha, Maryanne.
 
Maryanne, jovem de 19, vive de forma diferente das moças de sua época. Ela não se preocupar em encontrar um marido. Ou com vestidos, sapatos e bailes.
 
Inteligente, perspicaz, Maryanne é parceira de seu pai, desvendando crimes. Mas agora ela está na mira do serial killer. Precisa desvendar as charadas deixadas por ele entes que o assassino mate de novo. Ou ela se tornará a próxima vítima.
 
Mesmo com todo faro para mistérios, Maryanne ainda não sabia da existência de um justiceiro mascarado, conhecido como Caçador, que persegue e mata criminosos, em especial aqueles que tinham tudo para ficarem impunes. E o que ainda é mais chocante: o Caçador é parceiro de seu pai.

Minhas considerações

Quando eu li a descrição de Horas noturnas, três características me chamaram a atenção: suspense gótico, uma mulher a frente de seu tempo e a intertextualidade com Poe.

São temas que me fascinam. Então, minha maior ânsia era saber com a autora havia trabalhado essas questões dentro do romance.

Antes de iniciar minhas considerações de como a autora desenvolveu o conceito de gótico, vamos entender um pouco o que é literatura gótica. Vou apontar definições do senso comum.

O gótico são as histórias que nos causam medo, ou são as histórias de terror e de horror, ou ainda são as histórias que se passam em lugares sombrios e aterrorizantes, normalmente castelos medievais abandonados e cemitérios mal-assombrados.

Levando em consideração o exposto acima, o livro Horas noturna, como o próprio título aponta, as ações se passam à noite, em lugares sombrios, portanto, há características góticas. No entanto, a autora não conseguiu, pelo menos em mim, causar medo.

Mas acredito que o horror esteja presente na forma como é realizado os assassinatos. O gótico ainda está presente no personagem Caçador, por ele ser cheio de sombras que o perturbam.
 
Sobre a condição da mulher

A autora aborda a condição da mulher, em uma sociedade conservadora, paternalista, machista, de uma forma interessante. Uma vez que a personagem Maryanne, em vários momentos, representa a mulher como sujeito, ultrapassando as dimensões do estereótipo da mulher criada para casar.

No entanto, Maryanne não é de toda uma personagem sujeito. Em vários momentos ela se apresenta com problemas de barbe. Com desmaios e tudo mais.

Já Chloe é a típica personagem estereotipada, pois não faz reflexões, não tem preocupação que vá além de arranjar um marido. Moça criada para casar. É muito interessante, pois podemos ver o contraste entre as duas personagens.

Quanto à intertextualidade com Alan Poe, a autora usou somente como referência. Não há ligação do texto de Poe com as charadas. Mas eu gostaria que tivesse ocorrido. Seria ainda mais enigmático.

Para finalizar

Horas noturnas é um livro com propósito de apresentar uma narrativa de suspense-policial-gótico, mas, para mim, peca ao focar muito no romance dos protagonistas.

Eu indico o livro para quem gosta de romance com pitadas sensuais. Destaco o fato da autora conseguido surpreende no final. A identidade do assassino em série me deixou perplexa. Já a identidade do Caçador é previsível. No início a gente já sabe quem é.

Só mesmo Maryanne com sua cegueira, não consegue descobrir. Mas acho que ela também não se esforçou (os mistérios do coração).

Ainda preciso falar da capa, que tem muita identificação com o universo gótico. As referências passam pela arquitetura ao fundo, com torres pontiagudas, apontando para o céu; pelos tons sombrios; pelos pássaros, que devem ser corvos.
 

0 comentários:

Postar um comentário