Resenha de Extraordinário | R. J. Palacio | Intríseca


Título: Estraordinário
Autora: R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Tradução: Rachel Agavino
Ano: 2013
Páginas: 320
Sinopse: 
August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

August Pullman nasceu com uma deficiência rara, cuja sequela é uma deformidade facial. A síndrome não tem cura, por ser genética. O menino passou por diversas cirurgias desde o seu nascimento para correções na face. E lutou contra a morte para sobreviver. Devido a essa síndrome, o garoto nunca foi à escola. Tudo o que ele sabe foi ensinado por seus pais.

Auggie, como é chamado pelos pais e por sua irmã, tem o sonho de estudar em uma escola, conhecer as pessoas e fazer novos amigos. Sua mãe não gosta dessa ideia, mas apoia o filho pois vê-lo feliz é o motivo para acordar todos os dias.

Preparado para a nova jornada, os seus pais o levam para conhecer sua nova escola. O garoto fica encantado ao conhecer o diretor, o Sr. Buzanfa. O senhor engraçado pede para um grupo de alunos levarem o menino para conhecer a nova escola, inclusive o laboratório de ciências. As crianças conhecem Auggie e ficam assustadas por não entender o “porquê?” do menino ser daquele jeito.

A princípio o susto toma conta das crianças, mas August usa de sua simpatia para conquista-los. Os garotos ficam amigos, e o menino volta para casa com o desejo enorme de estudar naquela escola. 

Sua mãe está para mudar de ideia, quando o seu pai dá o apoio para o menino enfrentar seus medos e desafios. A missão de Auggie é provar para todos que não devemos julgar ninguém pela aparência. Será que August consegue fazer novos amigos? E o que as pessoas dizem a seu respeito?

A narrativa é toda em primeira pessoa, contada no ponto de vista de cinco personagens. A história é riquíssima e a autora consegue passar a mensagem principal, que é o de respeitar as diferenças. Na orelha do livro, quando encontramos as informações da autora, é dito que ela tem uma campanha contra o bullying e pede para que cada um adote essa ideia. A capa anterior era branca, mas atualmente a capa oficial é azul.

Auggie nos prova que nada é impossível e que deveria existir uma regra no mundo para que cada pessoa fosse aplaudida de pé uma vez na vida. Essas foram palavras pelo próprio August.

A recomendação da leitura é para aquelas pessoas que gostam de histórias com um misto de nostalgia e acima de tudo que não se deve julgar um garoto pelo rosto, e sim conhecê-lo antes de tirar conclusões.

0 comentários:

Postar um comentário