Resenha do livro Para Sempre | Novo Conceito


Título: Para Sempre
Subtítulo: A história que inspirou o filme
Autores: Kim Carpenter; Krickitt Carpenter
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Páginas: 144
Sinopse: 
A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a 'Krickitt' com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava.

Kim e Krickitt Carpenter estão casados a poucos meses e seguem em uma viagem, no dia de ação de graças. O que eles não esperavam era um trágico e terrível acidente. Uma caminhonete se choca contra o carro deles e amassa uma parte do carro deixando Krickitt gravemente ferida. Ela desenvolve uma lesão que acaba por apagar grande parte das suas memórias, incluindo as coisas que lembrava sobre seu casamento e sobre o seu marido.

Kim fica desesperado no hospital ao perceber de Krickitt não o reconhece. Após alguns meses de sua recuperação, ela recebe o laudo médico de que não vai recuperar suas memórias. A lesão afetou uma parte do seu cérebro, e portanto não há como resgata-las.

O seu marido não desiste fácil, e mesmo sem forças, ele resolve fazer a única coisa que pode ser feita, reconquistar a sua esposa. Trazer de volta as lembranças não é possível, mas será que o verdadeiro amor resiste a tantas dificuldades? É possível amar de novo? Krickitt consegue amá-lo tal como o amou um dia?

Para sempre é romance que tinha tudo para ser água com açúcar, mas logo no início somos surpreendidos com o acidente e a perca das memórias de Krickitt. O livro é desesperador desde o início, e só fica leve bem no final. E mesmo com 144 páginas, os autores conseguem passar um pouco daquilo que vivenciaram. Sim! É uma história real, contada pelos próprios autores, o que torna uma aproximação ainda maior entre os leitores e autores.

Seu sucesso foi tão grande, que em pouco tempo estava como um dos mais vendidos no mundo inteiro. Isso só ajudou para que a obra fosse adaptada para as telonas. O filme é parecido com o livro, não chega a ser fiel, pois como todo gênero, precisa sofrer modificações, e o olhar de cada pessoa é diferente ao perceber a obra.

Kim e Krickitt me conquistaram sem dúvida, a lição trazida pelo livro é que o amor pode sim ultrapassar fronteiras, e ser resgatado. Ambos nasceram novamente, e se deram a chance de amar, mesmo com esse buraco enorme que foi a perca da memória da Krickitt. O Kim, é um marido fiel, e prova isso de diversas maneiras ao longo da história. Vivemos o antes e depois do acidente a medida que os fatos são narrados, no ponto de vista dos autores.

Algumas cenas foram contadas rápidas demais, por ter sido escrito pelas pessoas que vivenciaram, dificulta um pouco a narração bem descrita dos fatos. A história é incrível, apenas não gostei do modo como ela foi contada. Recomendo a leitura para as pessoas que gostam de romance, reflexão e desespero por parte das personagens. E por fim, há amores que durão para sempre.


“Ela era tão incrivelmente agradável e atenciosa que eu não consegui evitar de pensar que meu dia ficou melhor simplesmente por ter conversado com ela.” (Pg 12)

0 comentários:

Postar um comentário