Resenha | O Lado Mais Sombrio | A. G. Howard | Novo Conceito

Ficha técnica:
Autora: A. G. Howard
Editora:  Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 364


Sinopse: O Coelho Branco, o Chapeleiro Maluco,o Gato, a Lagarta, A Rainha de Copas... Todos eles estão de volta, e desta vez o assunto é sério. Alyssa precisa enfrentá-los para salvar as mulheres da sua família de uma terrível maldição. Neste romance fantástico e surpreendente, a realidade pode ser muito mais perturbadora do que os sonhos.


Alyssa Gardner é uma linda e estranha garota, isso porque seus amigos tiram sarro de sua cara por ser descendente da Alice Lidell. Aquela criada pelo Lawis Carrol, o País das maravilhas, o coelho branco, chapeleiro maluco. Para deixar bem claro, a Lidell é a tataravó de Alyssa.

Desde cedo a menina ouve plantas e insetos, o que a leva a loucura. E para calar essas vozes, ela captura os insetos e faz quadros exuberantes. Cada quadro tem um toque estranho e belo, que retratam um mundo diferente, são verdadeiras obras de arte. Com muitos problemas, Alyssa ainda convive com a dura realidade da sua mãe. Há alguns anos ela foi internada em um hospício, pelos mesmos motivos que fazem a menina capturar os insetos.

E não para por aí! A jovem é apaixonada pelo seu melhor amigo, o Jeb, que está em outro relacionamento e a vê apenas como sua “irmãzinha”. Com quase tudo a definir na sua vida, Alyssa têm que conviver com uma terrível maldição que aflige as mulheres de sua família, e encobre o seu lado negro. Vale lembrar que a sua mãe ficou completamente louca por conta desta maldição.

Na tentativa de salvar a sua mãe e descobrir as verdades que há por trás de sua linhagem, Alyssa é arrastada para uma aventura no País das maravilhas, na tentativa de consertar os erros deixados por sua tataravó. Ela está decida a quebrar está maldição, mas seus planos começam a dar errado quando arrasta também o seu melhor amigo, Jeb, para o País das maravilhas. Os dois enfrentam alguns desafios, até encontrarem Morfeu, o sexy intraterreno (ser místico do submundo), que assola os pesadelos e sonhos de Alyssa a algum tempo.

A capacidade de sedução de Morfeu é tamanha, que Alyssa traz à tona todas as suas lembranças, bloqueadas pela sua mãe, para sua proteção. Só então ela percebe que desde a sua infância, Morfeu era seu melhor amigo e estava ensinando tudo sobre aquele lugar. O problema é que ele tem planos para a garota, e fará o que for preciso para que ela cumpra o seu destino. Alyssa fica cada vez mais confusa, e Jeb tem a difícil tarefa de lembra-la qual é o seu verdadeiro eu. Será que Jeb faz Alyssa desistir do seu lado sombrio?

Em O Lado Mais Sombrio, Howard recria com genialidade o País das maravilhas, criado pelo Lewis Carrol. Os personagens deste novo mundo, são bizarros, pois há plantas carnívoras, um coelho branco que na verdade é “puro osso” etc., misturando diversos animais. Não deixando de citar os personagens clássicos, conhecemos também a lagarta, o chapeleiro maluco, o famoso gato Cheschire e a malvada rainha de copas, todos eles ganham uma repaginada tanto no visual quanto no psicológico.

A Alyssa é cativante, sua personalidade é tão forte quanto a da sua predecessora. E com isso ela ganha um brilho único, uma história sua. Jeb é o cara! carinhoso e protetor, mesmo sendo rejeitado por Alyssa em alguns momentos, não desiste de trazê-la de volta. É nesse mundo, que ele descobre seus verdadeiros sentimentos por ela.

Preciso dedicar um parágrafo para o Morfeu?! Com certeza... Neste livro ele é um dos principais personagens da trama, pois comanda a maior parte do enredo. Quando ele entra em cena, rouba completamente o coração de Alyssa, e também os das leitoras.

Gardner sente-se confusa, protegida, manipulada, quando ele está por perto. É isso mesmo que ele faz, o seu jeito sexy e dominador esconde o seu lado sombrio e sacana. 

Durante todo o livro, meus sentimentos por ele oscilavam entre o amor e o ódio. Seu brilho próprio, o faz ser independente, apagando até mesmo o brilho de outras personagens como Jeb.

Quanto mais palavras eu coloco, mais extasiada fico para a leitura do segundo livro. A autora deu vida a cada personagem e conduziu maravilhosamente bem o enredo psicológico de cada um. O rumo que a trama tomou é surpreendente, colocando-o na lista dos favoritos e desejando que Howard continue nessa perspectiva tão brilhante.

Não espere por um livro apenas de romance, ele é sombrio, louco e estranho, mas deixa-nos viciados a cada página. A capa e a diagramação são belíssimos, os detalhes são um capricho a parte. 

A tamanha inspiração em Tim Burton e no Lewis, fizeram desta obra uma feliz releitura, sem imitações ou qualquer índice de comparativos. Recomendo a leitura em especifico para os apaixonados em releituras, com um misto de mistério e personagens dark’s.

“Ainda vejo as flores se metamorfoseando em monstros perante nossos olhos. Como disse Jeb, este não é o País das Maravilhas que Lewis Carroll criou.”


0 comentários:

Postar um comentário