Resenha da Série Penny Dreadful

A resenha de hoje foi produzida pela Francélia, (um Guest Postenviada para Seção Colaboradores. Para mais informações acesse aqui.

ELENCO: Timothy Dalton, Eva Green, Josh Hartnett, Reeve Carney, Rory Kinnear, Billie Piper, Danny Sapani, Harry Treadaway, Helen McCrory
ROTEIRO: John Logan
DIREÇÃO: Vários
ANO DE ESTRÉIA: 2014

O século XIX foi um período de grandes transformações, principalmente no Reino Unido, como a expansão do processo de industrialização, o desenvolvimento do mercado editorial e o aumento significativo do número de leitores, com a alfabetização das classes mais pobres. Nesse período, o Reino Unido era governado pela rainha Vitória (1837 – 1901), e foi uma época de grande expansão do Império Britânico. Com conquistas nos territórios indiano e chinês, os ingleses também sofreram grande influência dessas culturas milenares, e aos avanços da Ciência e da Tecnologia se somaram os conhecimentos Esotéricos, criando um ambiente propício ao desenvolvimento de histórias Fantásticas.

Assim, na Era Vitoriana a Literatura encontra os elementos perfeitos para se desenvolver e se popularizar; vários autores consagrados se destacam, como Charles Dickens (Oliver Twist), Oscar Wilde (O retrato de Dorian Gray), Arthur Conan Doyle (Sherlock Holmes), entre outros; e também surgem as bases para o que hoje chamamos de Cultura de Massa, que nem sempre é sinônimo de obras sem qualidade. 


Um exemplo de obras de apelo popular foram os Penny Dreadfuls, ou Penny Bloods; histórias impressas em papel barato que custavam apenas um centavo. 

Alguns intelectuais da época reconheciam a importância dos dreadfuls para o desenvolvimento do hábito de leitura nas camadas populares, mas se preocupavam bastante com o seu conteúdo, pois essas obras eram apelativas, recheadas de muito sangue, sexo, violência e terror; tendo protagonistas sinistros, como alguns serial killers. Sweeney Todd - O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet e Varney, O Vampiro eram alguns dos títulos que chamavam a atenção dos leitores.

Para tentar criar histórias com conteúdo diferente, em 1890, o jornalista e empresário Alfred Harmsworth (Daily Mail e Daily Mirror) cria os Halfpenny (vendidos a meio centavo – half-penny), histórias com lições de moral, conteúdo mais elevado e experiências reais; mas isso não fez muito sucesso.  A. A. Milne (Pooh) uma vez disse que “Harmsworth killed the penny dreadful by the simple process of producing the ha'penny dreadfuller”.

A Era Vitoriana foi tão marcante que até hoje serve de inspiração para diversos autores, tanto pelo contexto histórico da época quanto por suas obras de ficção. Uma obra contemporânea resgata exatamente os Penny Dreadfuls, na série produzida por John Logan e Sam Mendes, para o canal Showtime, que teve sua estreia em 11 de maio de 2014.

A série já está em sua segunda temporada, e apresenta personagens clássicos, como o Dr. Frankenstein, de Mary Shelley, Dorian Gray ,Vampiros, Bruxas, Lobisomem e tantos outros.

A primeira temporada teve como tema principal os vampiros, agora, na segunda temporada, o destaque é para as Necromantes, e as histórias vão surpreendendo a cada episódio, em que as bruxas se tornam seres extremamente demoníacos.

Vários personagens são na verdade uma releitura dos personagens originais, de obras clássicas da Literatura Inglesa, e a série tem roteiro e produção impecáveis. Os atores são excelentes, mas a atuação de Eva Green ganha total destaque na série. Mesmo quem não acredita no sobrenatural fica com receio de apagar a luz à noite, após assistir a um episódio de Penny Dreadful.

TRAILER DA SEGUNDA TEMPORADA:



Por Francélia Pereira, estudante de Letras; teve seu primeiro romance, "Habitantes do Cosmos: Artemísia", publicado em 2015, pela Editora Buriti. A autora é apaixonada por Mitologia, Ficção Científica e Poesia.  Acesse as mídias da autora: Fanpage | Facebook | Twitter | Instagram 

Referências
Halfpenny Dreadfuls[1]
Urban75[2]
British Library[3]


[1] http://halfpennydreadfuls.com/penny-dreadfuls/stories

[2] http://www.urban75.org/london/penny-dreadful.html

[3] http://www.bl.uk/romantics-and-victorians/articles/penny-dreadfuls

0 comentários:

Postar um comentário