Resenha | Neve na primavera | Sarah Jio | Novo Conceito


Título: Neve na primavera
Editora: Novo Conceito
Autor(a): Sarah Jio
Páginas: 336
Exemplar cedido em parceria com a Novo Conceito
Sinopse: 
SEATTLE, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho. Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade. Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve. Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos, Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

Neve na primavera é um livro que consegue nos tocar sem apelar para sensacionalismo dramático.

Em Neve na primavera, conhecemos as histórias cruzadas das vidas de Vera Ray e Claire Aldridge, duas mulheres marcadas pela perda.

Sarah Jio optou por intercalar as histórias Vera e Claire. Vera viveu nos anos de 30. Claire no presente, ano 2010. A ligação entre as duas mulheres ocorre por causa de uma nevasca fora de época, chamada com Inverno das amoras pretas. Fenômeno que ocorreu no dia 2 de maio de 1933 e que, coincidentemente, volta a ocorrer no 2 de maio de 2010,  a cidade de Seatle.

Claire é jornalista e foi designada para fazer uma matéria que abordasse a coincidência metrológica. Depois de algumas pesquisas, Claire descobre que no dia da nevasca, 1933, uma criança desapareceu, um menino chamado Daniel Ray. Um desaparecimento que não houve solução.

Claire fica tocada pela os fatos da vida de Vara e Daniel e sente que precisa solucionar os mistérios que envolvem os dois. 

Vera criava o filho  sozinha, com muitas dificuldades, em uma época de grande crise econômica, a chamada Grande Depressão. Mal tinha o que comer. Ela trabalhava em um hotel, à noite, e tinha que deixar o filho sozinho. Foi no dia da nevasca fora de época que Daniel Ray desapareceu.  

Claire é casada com Ethan, mas a relação dos dois anda dando sinal de que chegou ao fim. Algo aconteceu há um ano, que abalou o relação do casalNo início da narrativa a gente não sabe o que ocorreu. A autora coloca um pouco de mistério, nada pretensioso, pois podemos inferir os fatos. 

Neve na primavera é um história tocante. Claire encontra da história de Vera uma forma de superar seus próprios traumas. O que mais me sensibilizou foi perceber o quanto a vida é injusta, o quanto ela pode ser cruel. Sabemos que a força do dinheiro é poderosa, que pode mudar a vida de uma pessoa para o bem ou para mal, mas eu sempre fica enjoada quando me deparo com histórias de ricos passando por cima de tudo e todos. 

0 comentários:

Postar um comentário