Resenha | Nosferatu | Joe Hill | Editora Arqueiro

Título: Nosferatu
Título Original: NOS4A2
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
Páginas:
 624
*Livro cedido em parceria com a Editora Arqueiro

Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem. Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor. E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca… e acaba encontrando Charlie.

Um dos fatores que me deixa maravilhada ao ler um livro é ver o quão criativo pode ser a mente de um escritor. Joe Hill conseguiu me deixar fascinada com cada detalhe assombroso de Nosferatu. Ele pega o Natal, uma época significava para muitas pessoas, as cristãs pelo menos, e consegue fazer com que o leitor sinta medo de uma simples bengala doce de Natal

Esse é primeiro livro que leio do Joe e já acho que ele se tornou um dos meus escritores favorito, quando ao tema é terror, ao lado do pai, Stephen King, de Ira Levin (O Bebê de Rosemary), de William Peter Blatty (O Exorcismo) e Andrew Neiderman (Advogado do Diabo).


Nosferatu traz a história Victoria McQueen, Vic (Pirralha para o pai), a protagonista que desde criança consegue ultrapassar a barreira do espaço-tempo e encontrar objetos perdidos, usando para isso uma bicicleta e uma velha ponte de madeira, que fica nos fundo da sua casa.

" Todo mundo vive em dois mundos, não é? Tem o mundo físico... mas tem também nossos próprios mundos particulares, internos, o mundo do nossos pensamentos. Um mundo que não é feito de coisa mas de ideias."

Só que esse poder de Vic tem consequências. Ela adoece cada vez que volta de uma viagem. E também fica um pouco de si perdido no "nada". A Pirralha sempre se questionou se o que fazia era real ou  apenas fruto da imaginação fértil de uma criança.

Vic encontra alguém que lhe dar respostas sobre seu dom e acaba descobrindo que há outras pessoas que também têm objetos que lhes conferem certo poder para realizarem coisas.

Uma das pessoas com dom especial é um homem chamado Charles Talent Manx, que em seu Rolls-Royce 1938, o Espectro, lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal.

"Vic... O Espectro é alguém que você precisa manter distância. Nem t-todo mundo que sabe fazer as coisas que a gente sabe é legal."

Vic foi avisada que jamais deveria encontrar Charles Manx, mesmo assim, em um dia que estava chateada com os pais, agora com 16 anos, uma adolescente problemática, resolve usar a bicicleta e a ponte para ir até Charles Manx a procura de encrenca.

Depois do encontrar e "derrotar" Charles Manx a vida de Vic só piora. Bom, é nesse ponto da narrativa que o desenrolar de coisas macabras começam a acontecer intensamente.

Antes do encontro com Charles Manx, o dom de Vic parecia até legal. Não havia nada de apavorante. Ela resolvia os problemas das pessoas, principalmente dos pais.

Mas o dom começou a cobrar cada vez mais de Vic. E sua sanidade vai por água abaixo. Vic ficou adulta, teve um filho e as coisas se complicaram cada vez mais.

Charles Manx não foi derrotado. Ele ainda contava com a ajuda de Bing Partridge, o homem da máscara de gás, para sequestrar as crianças. Bing Partridge é um homem problemático, uma criança no corpo de um adulto que fez coisas horríveis com a intenção de ir viver na Terra do Natal.

Nosferatu é um livro com uma linha de tempo gigante. Acho que é o livro com a maior linha de tempo que eu já li. A narrativa acompanha a vida da protagonista dos oito até de trinta e poucos anos, além dos personagens secundários. E em todos esses anos tem muita história, com detalhes críveis.

A vida do vilão Charles Manx também é destrinchada. Ele realmente não se achava uma pessoa má. E, às vezes, eu desejava que ele não fosse. Eu queria que ele fosse um salvador de crianças abusadas, mesmo com todo aspecto de monstro. Mas não, gente, ele é muito doente. 

Nosferatu é um livro de terror e redenção. Victoria McQueen se redimiu ao longo do livro. Ela é uma protagonista que procurou confusão ao se meter com o vilão sem ter um motivo justificável. Ela procurou Charles Manx para fazer pirraça com os pais, chamar atenção. Nem de longe Vic é uma protagonista certinha. Mas no final da narrativa ela teve um bom motivo para fazer tudo o que fez. 

Esse é um livro que vou indicar para todos que gostam do gênero terror. 

0 comentários:

Postar um comentário