Resenha | Eu estive aqui | Gayle Forman | Editora Arqueiro


Título: Eu estive aqui
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 
Livro cedido pela Editora Arqueiro para resenha
Sinopse: 
Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.

Eu venho acompanhando o trabalho da Gayle Forman desde que suas obras foram publicadas por aqui. Li as duas duologias lançadas pela Editora Novo Conceito. Então quando a Arqueiro lançou Eu estive aqui, eu não tive dúvidas, logo solicitei o livro para leitura.

Claro que fiquei com receios de como a autora iria abordar o suicídio, um tema tão sério. Mas ao mesmo tempo eu fiquei tranquila, pois mesmo que a autora não conseguisse se sair bem com o enredo, pelo menos eu não teria problemas com a escrita. Gayle sabe escrever para o público jovem. Suas narrativas não são profundas, mas, também, não são entediantes.

Eu estive aqui traz uma história de trágica. A melhor amiga da protagonista se suicidou. Meg tomou um frasco de veneno sozinha, num quarto de motel. A família de Meg e Cody, a protagonista, ficaram arrasados.

Meg é descrita como uma pessoa que atraia todos por onde passava. Tinha muitas amizades. Estava cursando faculdade. Tinha um futuro promissor pela frente. Então o que a levou a tomar um atitude definitiva em relação a vida?

Cody achava que sabia tudo sobre Meg. Eram amigas de infância. Mas com o suicídio, descobriu que não conhecia tão bem a amiga. A vida de Meg estinha alguns mistérios. As respostas começam a aparecer quando Cody vai pegar os pertences de Meg na universidade onde ela estudava.

Cody fica com o notebook de Meg. Ao ler os emails de Meg, percebe que algumas coisas não se encaixam. Tomada pela dor, pela culpa, pela curiosidade, Cody parte em uma busca por respostas, ao mesmo tempo tenta seguir em frente com a própria vida. Será que Meg não teve um cúmplice no seu suicídio?

Dois quatro livros que eu li da Gayle FormanEu estive aqui, com certeza, é o melhor deles. Eu fiquei tão envolvida com a trama que li o livro de uma vez só. O tema abordado, suicídio, é perturbador e envolve sempre questões da várias ordens: religiosas, filosóficas, biológicas. As causas de suicídios são as mais variadas. 

Gayle foca na depressão como causadora. A autora não trata com profundidade a causas, mas aponto os caminhos e consegue desenvolver uma narrativa leve, ao mesmo tempo sendo realista. Meg era uma pessoa doente que, infelizmente, buscou ajuda com as pessoas erradas. 

O suicídio me chocou, porém saber que há pessoas que incentivam outras pessoas a se suicidarem foi muito mais impactante para mim. Eu sabia que há esses tipos de grupos para os anoréxicos e bulímicos. Mas para o suicídio não.

Gayle acertou a mão ao criar a protagonista Cody. A personagem tem vários problemas: familiares, amorosos, estudos, trabalhos. Mas não é uma personagem que fica choramingando. Nada de miminis. Ela tem atitudes, mesmo que, às vezes, a decisão tomada não seja a mais certa. 

Eu ainda não havia gostado de nenhumas das mocinhas de Gayle, mas dessa vez consegui me conectar com Cody. Ela é a mistura certa de realidade e criação literária. Uma característica da Gayle são os personagens músicos.

Para finalizar, só quero ressaltar o trabalho da Editora Arqueiro. O livro veio em um linda embalagem, com imãs-fotos maravilhosos e o bottom.

0 comentários:

Postar um comentário