Resenha || O caminho certo | Ana Martines


O caminho certo

Ana Martines

Editora: Independente
Número de Páginas: 360
Ano: 2015
Avaliação: ★★★
* PDF cedido em parceria com a autora
Sinopse: Até onde a morte pode mudar a vida de uma pessoa? Paloma sempre teve tudo o que quis, até ver seu mundo desmoronar no dia em que sua mãe comete suicídio. Na longa busca pela superação conhece Ricardo, um rapaz intenso, pronto para virar sua vida de cabeça para baixo. Ela é mimada, ele não quer entregar seu coração novamente. No entanto, ambos carregam cicatrizes do que já viveram. Um romance trágico e improvável. Qual será o caminho certo?Um grande amor é capaz de curar um coração partido?
Paloma está prestes a completar 18 anos, ela é um tanto fútil, mas tem razões para isso. Ao chegar em casa ela encontra a sua mãe morta, e sem nenhum constrangimento sai para uma balada. Sério, isso acontece mesmo! Ela descarrega todas as suas emoções e aproveita mesmo, o máximo que puder. Afinal é o seu aniversário e sua mãe presenteou-a com a morte.

“Um dia a vida lhe dará uma pancada tão forte que te mudará para sempre.”

Logo após aproveitar muitoo! Paloma veste a sua melhor cara para o velório da sua mãe, pois tem que encarar todos os familiares de sua mãe. E cá para nós, ela não conhece ninguém. Ela tem suas razões ( precisa ler para descobrir o porquê). Seu pai é o diabo em pessoa, ele quer a todo momento que sua filha seja perfeitinha. Por outro lado, Paloma demonstra ser uma garota rebelde e complicada, e não vai se submeter a seu pai.  O relacionamento entre Paloma e o pai chega a ser impossível.

Ela não tem para onde ir, por isso vai atrás do Miguel. Sim, um cara muito fofo que ela conhece na universidade, precisamente no dia do seu aniversário de 18 anos. Miguel demonstra muita compaixão pela amiga, ele percebe como as coisas estão difíceis.

A garota vai morar com o amigo Miguel, mas lá também mora Ricardo, o cafajeste que ela havia conhecido na balada, e rolou algumas coisas entre eles.  Sim, ele irmão de Miguel. Ricardo é de tirar o fôlego, um cafajeste lindo por sinal, mas não chega aos pés de Miguel por sua fofura e delicadeza.

Enquanto vive com os irmãos, Paloma tenta aturar o clima desconfortante com Ricardo. Ele não é nada agradável e torna as coisas bem difíceis para Paloma que também não se rende tão fácil. Para ajudar com as despesas, Paloma começa a trabalhar em um quiosque, do tio do Ricardo. O cara não sossega mesmo e faz uma aposta um tanto indecente com ela. Ricardo diz que ela não aguentaria uma semana no quiosque e sairia rapidinho. Será que a garota fútil e menosprezada consegue aguentar tudo isso? O que tem de tão difícil no relacionamento entre Paloma e Ricardo?

“Sentia que com aquele homem misterioso poderia dar o próximo passo...O passo que nunca havia dado com nenhum dos caras que tentaram me levar para a cama.”

O caminho certo é um livro sexy, divertido e dramático. Paloma é uma personagem altamente fútil no início da trama, às vezes chega a dar raiva. Só nos capítulos seguintes compreendemos o motivo pelo qual a deixou assim. A morte da sua mãe foi uma válvula de escape, que a pegou de surpresa. E coloca surpresa nisso! Porque a garota nos surpreende mesmo! Ela amadurece entre trancos e barrancos. Há um ditado que diz que “se você não aprende por bem, tem que aprender por mal.” E será que ela aprende?

Ricardo é muito bonito mas é um cara altamente superficial. Por trás daquele jeito cafajeste e safado tem um cara que sofreu muito, por isso tem medo de se relacionar. Medo de se apaixonar pela Paloma. Um gesto fofo do Ricardo é querer preservar Paloma, será esse motivo da implicância entre os dois?

A Ana tem escrita altamente deliciosa, ela consegue amadurecer os personagens, e ela amadurece a sua escrita junto com eles. A capa do livro é maravilhosa e espero conhecer o livro físico para tratar questões de diagramação, fonte, folhas. Recomendo a leitura da obra para aqueles que querem diversão, romance, melancolia e cenas bem calientes.

“Pé esquerdo? Começamos plantando bananeiras com uma mão só. Seria fácil se fosse apenas com o pé esquerdo.”

Agradeço a Ana pela confiança e o carinho!

0 comentários:

Postar um comentário