Resenha || O Papai é Pop | Marcos Piangers | Editora Belas-Letras


O Papai é pop

Marcos Piangers

Editora: Belas-letras
Número de Páginas: 112
Ano: 2015
Avaliação: ★★★
* Livro cedido em parceria com a Belas-Letras.
Sinopse: Então, você vai ser pai. Você sabe que precisa comprar uma casa maior. Tem que ter mais espaço pra criança. Tem que ter mais um quarto no apartamento. Tem que ter um berço novo, não pode ser aquele que a vizinha se dispôs a emprestar. Então você sabe que tem que trocar de carro, com seis airbags, no mínimo, ar-condicionado de fábrica. O que o humorista Marcos Piangers descobriu ao ser pai jovem é que essas preocupações não fazem diferença nenhuma. O que vale mesmo não é pagar pela melhor creche, se você é o último a buscar seus filhos. Não é comprar os melhores brinquedos, porque as crianças gostam mesmo é das brincadeiras que não custam nada. No fundo, o que importa mesmo, como os textos divertidos e emocionantes de "Papai é Pop" mostram, é você estar com seus filhos, não pensando em outra coisa, mas estar lá. De verdade.
Eu li O Papai é pop sábado à noite, véspera dos dias dos pais. Na verdade foi assim: como o livro tem poucas páginas e a linguagem é muito fluída, isso possibilitou que eu fizesse uma leitura compartilhada com meu marido. Eu li para ele. E devo dizer que demos boas risadas. E no final eu ainda me emocionei. É que nós estamos nos preparando para sermos pais. Então foi ótimo lermos um livro com textos tão delicados, emocionantes e muito bem humorados. O leitor, não se preocupe, O Papai é pop não é um livro de receitas sobre ser pai.
O Papai é Pop, do autor Marcos Piangers, publicado Editora Belas-Letras, lançado em brochura e capa dura, traz uma coletânea de crônicas, a maioria são de momentos compartilhados entre Paiangers e as filhas. Algumas desses crônicas foram publicadas no jornal Zero Hora.

O que mais me chamou atenção é que os textos nos apontam que, ser pai, é mais do que ter uma casa grande, para acolher o novo membro da família; é mais do escolher a creche certa; é mais do que ter o carro certo, com todos os itens de segurança; é mais do que ter os melhores brinquedos. Pois é, o que importa mesmo é estar lá pela criança. 

A introdução, para mim, foi muito significativa, pois o autor fala um pouco sobre a sua vida e a da mãe, que o criou sem o pai. Tem uma parte linda que diz: 
"Ter filhos é ter fé em um futuro melhor. Um mundo onde nenhuma dificuldade é desculpa para fazer o mal a outra pessoa."
Outro trecho muito significativo são os tipos de pais elencados pelo autor. Ele diz:
"Existem vários tipos de pai. Desatentos, inseguros, dedicados, ocupados, atrasados, estressados, agitados, brincalhões... e há pais que decidem não ser pais.

Vou classificar O papai é pop como um livro interativo, pois no inicio há espaço para desenhar o pai, colocar foto, além das ilustrações que podem ser pintadas. Mas o mais importante mesmo são as mensagens das crônicas, expressas com exemplo vividos de alguém que escolheu ser pai em tempo integral. E a Belas-Letras fez mais um trabalho excepcional na diagramação e capa. 
Sobre o autor
Marcos Piangers é pai em tempo integral. Nas horas vagas, trabalha com comunicação jovem e plataformas digitais no maior grupo de mídia do sul do Brasil. Nascido em Florianópolis, em 2006 se mudou para Porto Alegre, de onde participa do programa Pretinho Básico, um fenômeno de audiência e ganhador do prêmio Melhores 2014 do iTunes da Apple. Seus vídeos na internet têm mais de 30 milhões de views. Já deu aulas sobre humor e pensamento criativo. Mas nada o define mais do que dizer que é pai da Anita e da Aurora. Tem o plano de ter uma filha a cada sete anos, até ter a primeira neta. Suas filhas e esposa são contra este plano.

0 comentários:

Postar um comentário