Resenha || Soldier: leal até o fim | Sam Angus | Novo Conceito


Soldier: Leal até o fim

Sam Angus

Título Original: Soldier Dog
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 256
Ano: 2015
Avaliação: ★★★
* Livro cedido em parceria com a Novo Conceito.
Sinopse: Quando Tom Ryder é convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial, não imagina o quanto o seu irmão mais novo, Stanley, sentirá sua falta. A única alegria do garoto são os filhotes de Rocket, a cadela premiada que é o orgulho da família. Porém, ao descobrir que Rocket teve filhotes mestiços, o pai de Stanley fica furioso e ameaça afogar os cãezinhos. Inconformado e desejando reencontrar Tom, Stanley foge de casa. Mentindo a idade, consegue se alistar no exército britânico. Somente o amor incondicional pelos animais será capaz de fazê-lo sobreviver à brutalidade e à frieza dos campos de batalha. Uma prova de que a inocência e a sensibilidade podem ser mais poderosas do que a guerra. SOLDIER: Leal até o fim é um livro emocionante e intenso, recomendado para leitores de todas as idades, especialmente para os apaixonados por cães.
Soldier: Leal até o fim me deixou com os olhos mareados. Essa é uma daquelas histórias que, em vários momentos, entra cisco no olho do leitor. Soldier traz a emocionante história de Stanley, Soldier e Bones (os dois últimos são cães).


Stanley é um jovem de 14 anos que vive com um pai, Da, um homem amargo. Da se trancou em um mundo obscuro, que Stanley não compreende. O irmão mais velho, Tom, estar lutando nas linhas de frente da Primeira Guerra Mundial. Tom é o único que compreende Stanley.

Mas a vida de Stanley não é só infelicidade, pois ele tem Soldier, um dos filhotes mestiço da cadela Rocket. Mas o pai de Stanley não gosta nem um pouco desses filhotes.  Sim, Da cria somente cães de raça.

Como Da não queria, de forma algumas, os cães mestiços, então resolveu se livrar deles, mas essa atitude causou muita dor a Stanley. E este é um dos motivos que levou Stanley se alistar no exercito e ir para a França, lutar na guerra ao lado do irmão Tom.

Quando eu li a sinopse de Soldier: leal até o fim, lembrei logo do livro Cavalo de Guerra, que foi adaptado para cinema em 2011. Assim como Soldier, Cavalo de guerra é ambientado no período da Primeira Guerra, com foco, é claro, nos cavalos que serviram ao exercito.

Soldier: leal até o fim é uma historia ficcional, mas também traz fatos históricos, isso nos dar uma maior dimensão de tudo. O foco principal do livro são os cães mensageiros que serviram à Guerra. Eles eram treinados para levar mensagens de uma companhia a outra, quando a comunicação era cortada, devido ao bombardeios. Pois é, além dos bombos, eles também usaram cães. 

Soldier: leal até o fim é narrado em terceira pessoa e dividido em três partes. Na primeira conhecemos Stanley antes de Soldier nascer; ficamos sabendo como Da o tratava; acompanhamos o nascimento de Soldier. Na segunda parte acompanhamos o treinado  de Stanley e seu enviado para guerra; ficamos sabendo dos horrores da guerra; A terceira e última parte nos mostra os reencontros.

Soldier: leal até o fim não traz somente a história de Soldier, também conhecemos a história do leal Bones, primeiro cão que Stanley treinou. 

Eu estava com receio de ler, pois não gosto muito quando os autores pegam o leitor pela emoção, ao utilizam animais em suas histórias dramáticas. Acho que histórias que trazem animais é preciso que o leitor tenha pouca sensibilidade ou não goste nada de animais para não se emocionar. 

Soldier: leal até o fim não é só um livro sobre cães de guerra. É um livro também é sobre família, amizade e lealdade. É sobre como convivermos com dores que esmagam nosso coração, que nos sufocam a alma. 

Esse é um livro para quem gosta do tema da guerra e de animais. É incrível com sempre tem algo sobre a guerra ainda a ser explorado. A escrita da autora é uma delícia. É impossível não nos envolvermos. 

0 comentários:

Postar um comentário