Resenha || Em queda livre | Ally Carter | Editora Guarda-Chuva


Em queda livre

Ally Carter

Título Original: All Fall Down
Série: Segredos Diplomáticos #1 (Embassy Row)
Editora: Guarda-Chuva
Número de Páginas: 353
Ano: 2015
Avaliação: ★★★ ★
* Livro cedido em parceria com a editora.
Sinopse: Aos dezesseis anos, a protagonista Grace Blakely vê sua vida virar de cabeça para baixo ao se mudar para a casa de seu avô materno, o embaixador americano na capital do país fictício de Adria. Incapaz de aceitar as circunstâncias misteriosas que cercaram a morte de sua mãe três anos antes, ela tentará descobrir os segredos do seu passado e encontrar respostas para as dúvidas que a assombram. Contando somente com a ajuda de seus novos amigos, filhos dos embaixadores das outras nações, ela se lança na busca por um assassino que ninguém mais acredita ser real, ao mesmo tempo em que se esforça para seguir os rígidos protocolos que regem a vida diplomática. Não será fácil para Grace se adaptar a esse novo mundo, especialmente quando ela começa a se apaixonar pelo único garoto proibido para ela: o melhor amigo de seu irmão mais velho. Grace fará de tudo para ser a boa menina que todos esperam que ela seja, mas os problemas parecem sempre encontrá-la, e qualquer deslize cometido na Ala das Embaixadas poderá deflagrar uma crise internacional, colocando sua vida e o destino das nações mais poderosas do mundo em risco.

Grace Blakely estava presente no dia da morte de sua mãe. Ela presenciou cada detalhe. E desde então, não consegue esquecer, por um minuto, aquele rosto. Um rosto marcado por uma cicatriz única, que mudou sua vida para sempre.
Agora, aos 16 anos, ela tenta superar seus medos e o terror daquela noite. Todos pensam que a morte da sua mãe foi acidental, morta em um incêndio! mas... Grace não está louca, muito menos o atestado de óbito da sua mãe, que confirma o que ela nunca teve dúvida. A mãe de Grace foi assassinada pelo homem da cicatriz, como ela costumava chamar.

O Pai de menina está para embarcar em uma viagem para o exército, então, ela tem de ir morar com o seu avô, na embaixada dos EUA, localizada em Adria. Nada satisfeita com a ideia, ela não tem alternativa, se não conviver com todas as lembranças de Caroline (sua mãe), afinal, aquele era o local da infância de sua mãe. A regra na embaixada é clara, nenhum membro pode invadir outro país, se não for convidado, mas Grace nunca foi muito boa em seguir regras.

Com o passar dos capítulos, outras personagens vão sendo inseridas como Megan, Noah e Rosie que entram na loucura de Grace, para perseguir o tal homem da cicatriz. Blakely tem a certeza de que o assassino de sua mãe está planejando algo terrível, e sua missão é tentar descobrir toda a verdade custe o que custar.

Alexie é um dos protagonistas do livro. O rapaz, a pedido de Jamie ( irmão de Grace), tem a função de proteger a menina, mesmo sendo o seu inimigo (por ser um russo). Mal sabe ela os planos do rapaz e que as suas intenções são realmente verdadeiras para com ela.

Algo de grande valor na história é a fluência dos núcleos narrativos de modo natural, não há acontecimentos ilógicos que nos façam perceber que autora forçou ou quis colocar fatos surreais. O ponto alto do livro é justamente isso, pois a estória ocorre de forma natural, chegando a ser real e nos faz ter prazer em continuar lendo.

Acredito que o que prevalece em toda narrativa é o enredo psicológico da protagonista, pois ao mesmo tempo em que ela tenta vencer o trauma da perda, ela quer descobrir a todo custo quem é o assassino da sua mãe. E, estando ele livre, pode matar qualquer outra pessoa. A menina não consegue confiar em ninguém, está todo o momento com medo e acaba por manipular seus amigos para ter o que quer.

Outro tema forte no livro, são as questões diplomáticas, assuntos políticos. O fato de que qualquer deslize ou infração, por parte dos membros, seria motivo de guerra ou desmanche de alianças, que para o avô de Grace, era importantíssimo ter aliados.

Há sim um romance no livro, mas não é tão focado pela autora. Nós, leitores que subentendemos, talvez ela possa nos contar um pouco mais no segundo livro. Só consegui entender o título da estória no final do livro, que mesmo não sendo um final tão surpreendente, consegue se manter no mesmo nível do roteiro.

Para quem não sabe, Em queda livre é o primeiro livro YOUNG ADULT (YA) da Editora Guarda-Chuva, que por sinal, caprichou em todos os detalhes e nos trouxe uma narrativa fascinante, de alto teor psicológico. Recomendo o livro da Ally Carter, para o público jovem, disposto a cair Em queda livre.
"Nós temos que respeitar nosso país anfitrião e temos que respeitar nossos vizinhos. [...] Às vezes, os muros que nos separam dos vizinhos são tudo o que existe entre o nosso país e a guerra."

0 comentários:

Postar um comentário