Resenha || Amaldiçoado | Joe Hill | Editora Arqueiro


Amaldiçoado

Joe Hill

Título Original: Horns
Gênero: Suspense
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 320
Ano: 2015
Avaliação: ★★★
* Livro cedido em parceria com a editora.
Sinopse: Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Além disso, descobre algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora. Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim.
Amaldiçoado é o segundo livro que leio de Joe Hill, o primeiro foi Nosferatu (Leia a resenha aqui), e já posso dizer que Hill sabe manusear as palavras de uma forma que, o tema abordado, nos cause espanto, horror.

Amaldiçoado se diferencia de Nosferatu, no que diz respeito ao suspense e ao terror. Estes elementos aqui são mais sutis. No entanto, traz um horror, do tipo que mais me assombra: o demônio que está dentro de cada pessoa. É um livro que apresenta facetas da psique humana. 

Não vou nem fazer um resumo da narrativa, pois a sinopse fala muito. Acho que até demais.

A trama de Amaldiçoado gira em torno de mentiras, dissimulações e assassinatos. Ignatius Perrish, o Ig, é o protagonista dessa história. Toda a narrativa órbita em torno de Ig e das pessoas que o cerca: Merrin, a namorada, que foi estuprada e assassinada; Terry, o irmão e amigo de Ig; Lee, o melhor amigo. Esses são os personagens mais relevantes.

Amaldiçoado é narrado em terceira pessoa, alternando entre o passado e presente dos personagens. A narrativa inicia no presente, um ano após a morte de Merrin. Ig ainda não superou a terrível morte do seu grande amor. Até porque toda cidade acredita que ele é o assassino. Até mesmo sua família acredita nisso.

Depois de uma noite de bebedeira, por causa do aniversário de morte de Merrin, Ig acorda com chifres. Esses chifres exercem um tipo de poder sobre as pessoas. Elas revelam os  seus segredos mais obscuros.

Com esse poder, Ig começa a descobrir pistas do que realmente aconteceu na noite em Merrin foi assassinada. O assassino pode estar mais perto do que ele imagina.

Eu confesso que demorei pra entender o que Joe Hill queria trazer com essa história, que mistura elementos fantásticos e realistas. Eu terminei Amaldiçoado e disse: esse livro não é bom. Depois refleti sobre e, então, mudei de ideia. 

Bom, comecei a perceber que Hill, em Amaldiçoado, apresenta uma forma muito interessante de o leitor entrar na mente de um psicopata. Por isso o grande destaque da narrativa é, com certeza, o antagonista (que eu não vou falar quem é).

O antagonista-assassino consegue se passar por uma boa pessoa, amigo dos amigos, por anos. Inclusive, ele era exemplo para jovens num acampamento religioso. É que ele sempre soube usar as pessoas, suas fraquezas. Manipular é com ele mesmo.

Ele tinha um desejo doentio por Merrin. E posso afirmar que ele é um personagem misógino. A forma como ele fala das mulheres, da própria mãe, é doentio.

Outro ponto de destaque é que Hill consegue imprimir em todos os personagens o lado obscuro. Já no inicio do livro ele destaca isso, com a citação abaixo:
"Satã é um de nós. Muito mais do que Adão e Eva." - Michael Chabon, "On Daemos  & Dust" ( Sobre demônios e pó).
Sobre a personagem Merrin. Acho que ela está mais ligada aos elementos fantásticos da narrativa do que aos elementos realistas. Ela era a luz para os pais, para Ig, para o irmão e melhor amigo de Ig. 

Os elementos fantásticos dão uma boa análise: as cobras, os chifres, a casa na arvore encantada. Mas a resenha ficaria enorme.
"- A Bíblia só fala do fruto da Árvore do Conhecimento. Nunca disse que era uma maçã. Podia ser cereja." 
Amaldiçoado é para quem gosta de livros que vão fundo na mente doentia de um psicopata. Super indico o livro. Mas é preciso ter cuidado com a forma que o autor escolheu para apresentar a narrativa. Não há uma linearidade e o leitor pode ficar entediado em alguns pontos.

O livro já foi adaptado para cinema. Eu assisti. Posso dizer que o filme foi mais para o lado romântico da relação de Ig e Merrin. O antagonista não tem tanto destaque. O livro é mais sombrio. Por ser outra mídia, cabe muito mais elementos do que um filme. Vejam o trailer:

0 comentários:

Postar um comentário