Resenha || Cinco Dias | Julie Lawson Timmer | Novo Conceito


Cinco Dias

Julie Lawson Timmer

Tradução: Ana Paula Corradini
Gênero: Romance
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 366
Ano: 2015
Avaliação: ★★★ ★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Até que ponto você estaria disposto a se sacrificar por amor? Mara Nichols é uma advogada bem-sucedida, esposa e mãe dedicada. Ela está doente. Uma doença devastadora. Ela precisa colocar um fim ao sofrimento dos últimos tempos. Scott Coffman é um professor do ensino fundamental que precisa cuidar de um garoto de oito anos enquanto a mãe do menino cumpre pena na prisão.Mara e Scott têm apenas cinco dias para dizer adeus àqueles que amam. Essa talvez seja a maior prova de amor que poderiam dar a essas pessoas.

O que você faria se tivesse apenas Cinco Dias para tomar uma decisão que mudaria para sempre o rumo da sua vida e de todos aqueles que estão à sua volta? Pergunta difícil para começar a semana? Pois é, também acho.  E esse foi justamente o contexto com que me deparei em Cinco Dias: Duas pessoas, duas situações distintas e um mesmo prazo - Cinco Dias!

Julie Lawson Timmer coloca nesse romance a história emocionante dos personagens:

Mara Nichols, é uma advogada de sucesso. Filha adotiva de Pori e Neerja, casada com Tom e mãe da Lacks. Ela se sente feliz por ter conseguido tudo o que planejou minuciosamente para si. Tudo ia bem até o dia em que, depois de uma série de sinais, o marido a alertou que algo não estava indo bem com a saúde dela. Relutante, Mara negou e se fez forte até quando não pode controlar os esquecimentos, a irritabilidade, o cansaço físico e mais uma série de sintomas. 

Ela não estava bem e sabia disso. Mas talvez o orgulho falasse mais alto. Quando finalmente se convenceu de ir ao médico, ela queria provar a Tom que ele estava errado, e que ela estava bem. Infelizmente, não foi assim que aconteceu: Mara estava com uma doença sem cura. A Doença de Huntington (DH) fora herdada de seus pais biológicos, que ela desconhecia. E agora ela deveria lutar com uma série de limitações e isso não a agradava nem um pouco.


Scott Coffman é um professor dedicado. Marido de Laurie, ele leva uma vida simples e alegra-se com o progresso de seus alunos. Um desses alunos, Bray, teve grande destaque na escola, tanto em sala de aula como nos esportes. 

Vindo de uma família problemática, o jovem aparece um tempo depois para pedir a ajuda de Scott: Agora que a mãe fora presa, alguém deveria cuidar do seu irmão, o pequeno Curtis, caso não encontrasse quem, ele teria de largar a faculdade e todas as oportunidades que viriam com ela. Scott com o seu imenso coração recebe o menino por um ano como guardião.

As situações em que os personagens se encontram são bem diferentes. Mara, depois da doença estabeleceu um prazo para por fim ao seu sofrimento, ela optou por adiantar a sua  partida deste mundo antes de fazer sua família sofrer mais. Já Scott, lida com um problema social, e depois de um ano, ele se vê obrigado a viver seus últimos cinco dias com Curtis.

As duas histórias não teriam nada em comum além do prazo, isso se Mara e Scott não tivessem se conhecido em um fórum de discussão online para pais adotivos cheios de dúvidas e angustias, mas também cheios de alegria... 

A amizade virtual dos dois amenizou as tristezas e dúvidas pelas quais estavam passando naqueles cinco dias. Ela precisava se despedir de todos aqueles que eram importantes; Ele queria aproveitar os seus últimos dias com o 'Carinha' que mudara sua vida pra melhor no último ano. E era no fórum que eles encontravam conforto para enfrentar os dilemas que estavam passando. 

Em meio a tantas dificuldades Mara recebeu todo o apoio e amor da família, principalmente de Tom, que cuidou dela pacientemente. Scott não teve a mesma sorte... Sua esposa também gostava de Curtis mas achava que o marido não devia ter se apegado tanto ao garoto, justamente agora que ela estava grávida e o filho deles deveria receber mais atenção. Mesmo sozinho, ele proporcionava ao menino os melhores momentos possíveis, como se ele fosse seu. 

A escrita do livro é intercalada entre os capítulos de Mara e os de Scott, deste modo nos é permitido sentir um pouco de cada história aos poucos e nos envolvermos em ambas, embora eu tenha tido a impressão de que os capítulos dedicados à Mara foram mais extensos, cheios de detalhes e retornos ao passado. 

Ainda assim, a história de Scott me emocionou mais, é claro que a história de Mara também mexeu comigo, mas Scott me fez ver que é impossível não nos entregarmos por inteiro quando gostamos de uma pessoa. E o sentimento em questão é um dos mais bonitos - o altruísmo, a capacidade de colocar outro ser no centro das coisas, das preocupações, independente dele ter alguma relação de parentesco  ou proximidade, e ainda assim dar a ele o melhor de si.

ATENÇÃO: Esse livro é emoção do início ao fim! Eu curti muito a leitura, embora o contexto seja muito tenso, por tratar de assuntos tão delicados como a perda. Não estamos preparados para perder, seja na vida real ou nos livros... Por isso, haja lenço pra secar as lágrimas! Só para reforçar... A escrita da obra é bem simples. Os capítulos não são tão longos, então a leitura flui muito bem. Aqui vai mais uma indicação para a lista do Vou ler.

P.S.: Esse livro me fez lembrar de Como eu era antes de você... Principalmente pela maneira de terminar com cartas ... E com certeza, me emocionou igualmente.

Boa leitura, e até a próxima!


0 comentários:

Postar um comentário