Resenha || E o céu de Miramar? | Oliver Fábio


E o céu de Miramar?

Oliver Fábio

Gênero: Drama Familiar
Editora: OF selo do autor
Número de Páginas: 420
Ano: 2015
Avaliação: ★★★ ★
* Livro cedido em parceria com o autor
Sinopse: Uma família partida, sem rumo e em busca da felicidade. É um drama familiar que se passa em Miramar, na Argentina, no qual uma família é desintegrada por um acontecimento e cada um vai viver sua vida de uma maneira muito displicente. No entanto, a vida vai tratar de honrar as escolhas de cada um. Perto de um desfecho nada animador, eles tentam se unir novamente, entretanto algumas coisas já foram longe demais e um final surpreendente para cada um é a condição de suas ações. – E o céu de Miramar? vai te despertar como uma canção que no início pode até ser lenta, mas no refrão você cantará.
'E o céu de Miramar?' é o livro de estreia do escritor Oliver Fábio. O livro traz os dramas e conflitos de uma família argentina, moradores da cidade Miramar.

Sim, é isso mesmo! A ambientação do livro ocorre quase que, exclusivamente, em Miramar. E esse foi o motivo para eu me interessar pelo livro. Pois sou apaixonada pela América latina, pela cultura, pela língua. Miramar é uma cidade marítima e turística situada no sudeste província de Buenos Aires, com cerca de 30. 100 habitantes.
Foto Google: Miramar

Em 'E o céu de Miramar?', temos uma família composta pelos os membros: os pais, Solano e Amaya; os filhos, Clara e Piro. Essa é uma família como qualquer outra, inclusive, pode ser um dos nossos vizinhos.

O dinheiro curto, contas para pagar; o pai achando que precisa melhorar a aparência; a mulher querendo a vida das capas de revistas; os filhos perdidos em meio aos dramas da adolescência e o inicio da vida adulta. Problemas bem comuns de muitas e muitas famílias. Há entre os quatros membros uma grande dificuldade de interação. Cada um se isola em seu próprio mundo

Já no inicio do livro ocorre um fato triste, que acaba por desintegrar completamente os membros da família. E cada um fica por sua própria sorte. O problema disso tudo é que Clara ainda não atingiu a maioridade. E os pais, em nenhum momento, se preocuparam com isso.


E o céu de Miramar? é narrado em terceira pessoa, alternando o foco nos quatros personagens. Sendo que Piro e Clara têm maior destaque. Solano é o personagem com menos foco. E, desde já, ressalto que é o personagem menos interessante. A história de Solano se resume em fazer cirurgias plásticas, malhar e visitar boates. No entanto, seus atos têm resultado trágico.

Amaya é a segunda personagem menos interessante. Amaya é fútil e interesseira. Propensa a praticar atos escusos e até mesmo a chegar às vias mais sombrias. 

Os personagens mais interessantes são Piro e Clara. 
Piro por ser o personagem mais sensato. E posso até afirmar que ele foi o único que não pirou nessa história. Ele tem um silêncio, uma lacuna, um inaudito que o terna quase que real, mas isso pode confundir o leitor. Já que, em alguns momentos, não há desenvolvimento, como, por exemplo, em relação aos objetivos iniciais do personagem.

Piro é um estudante que queria a cura para uma doença. Em nome da pesquisa que estava desenvolvendo, ele faz uma viagem maluca, onde ocorre aventuras e mistérios. Mas, no final, não houve um desfecho satisfatório em relação à pesquisa. No entanto, algo que estava silenciado, em Piro, acorda depois da viagem. Esse ponto pode ser questionado pelo leitor, o modo como inicia o romance entre Piro e Martin. Mas, como eu disse, era algo que estava em silêncio.

A viagem alucinante de Piro, com três outros personagens secundários, lembra muito aqueles filmes que os personagens vão para um lugar paradisíaco, mas aí começa a ocorrer fatos muitos estranhos.


Clara é uma personagem complexa, com nuances cinzas, sem dúvidas. A garota passa por muitas coisas. Mas assim como o Piro, a personagem tem um desenvolvimento questionável, no final do livro, em relação ao abuso sofrido antes da desintegração da família.

Os atos, as escolhas que Clara resumem bem a essência da narrativa. Pois, mais do que um livro sobre conflitos e dramas familiares, E o céu de Miramar? é sobre escolhas, atos e consequências. Clara é a maior vitima de uma família disfuncional, indiferente, sem afetividade e apoio.

E céu de Miramar? tem uma narrativa com fôlego, em que há um entrelaçamento apurado dos fios condutores dos dramas. Há um momento no livro, quando Piro tenta reunir novamente a família, em que eu não pude deixar de fazer um link com os livros 'Dois Irmãos', Milton Hatoum e 'Lavoura Arcaica', de Raduam Nassar. Autores que, para mim, são referência quando se trata de dramas familiares. Fico muito contente com leituras que me proporcionam faz sinapses assim. No entanto, ressalto que E o céu de Miramar? tem pontos baixos, o que é natural em um romance de estreia.

Por fim, preciso falar do cuidado com a diagramação. Os detalhes  das ilustrações (como pode ser visto nas imagens acima), que remetem à narrativa. A separação dos capítulos com nomes de canções em espanhol.

0 comentários:

Postar um comentário