Resenha || A Playlist da Minha Vida | Leila Sales | Globo Livros


A Playlist da Minha Vida

Leila Sales

Gênero: Young Adult
Editora: Globo Livros
Número de Páginas: 312
Edição: 2014
Avaliação: ★★★★
Sinopse:
Elise Dembowski nunca foi popular na escola. Ninguém conversava com ela na hora do intervalo nem a convidava para sair no fim de semana. Pior. Ninguém jamais se interessou em saber o que tanto a ela escutava em seu iPod: playlists com o melhor da música pop, único território em que Elise se sente confortável e confiante. Diante de seu desajuste em relação à maioria, a adolescente tenta de tudo – inclusive a mais radical das saídas, felizmente sem sucesso. No auge de seu solitário desespero, o acaso a leva até a porta de uma balada noturna, via de acesso para um mundo completamente novo, cheio de som e diversão, no qual sua veneração por música funciona como senha para inclusão em um inédito círculo de amizades. As festas noturnas do Start – o melhor clube underground do mundo – tornam-se o lugar onde a felicidade, a aceitação social e até o amor são possíveis para Elise. Não demora muito para que um misterioso bullying eletrônico e a habilidade da garota como DJ coloquem em confronto este universo com a dura realidade cotidiana.
Você acha que é fácil mudar seu jeito de ser. Você acha que é fácil, mas não é.  Essas são as primeiras frases de Elise Dembowski: a personagem principal de A playlist da minha vida, de Leila Sales. Elise é uma jovem adolescente de 16 anos que assim como muitas outras não encontra seu lugar no mundo. O livro é narrado em primeira pessoa pela personagem, que conta com riqueza de detalhes os desastres da sua vida nada perfeita.


Elise nunca se encaixou no padrão de ‘normalidade’ das outras garotas da sua escola, e não importa o que ela fizesse, ela sempre era alvo de piadas, brincadeiras maldosas e constrangimentos. Logo percebemos que o Bullying é um ponto forte na narrativa, e, também os conflitos adolescentes da menina que chegou a planejar sua morte (sem êxito algum) pensando que assim seus problemas chegariam ao fim.

A tentativa de Elise de tentar ser vista, mesmo que isso custasse a sua vida, foi o início da sua maior transformação. Elise percebeu que por mais que a sua vida não fosse (nem de longe o que ela sempre sonhou) havia muitas coisas que ainda valiam a pena neste mundo.

"Ouvia meu iPod e e pensava sobre as coisas boas que existem na vida, como ar fresco, sol e música".

E a música foi uma destas razões. Elise e seu iPod formavam uma dupla inseparável já que a menina não tinha muitos amigos, aliás, não tinha nenhum amigo.  Neste caso, a música se tornou para ela como uma terapia, uma viagem que a levava para outro mundo, um mundo em que Elise não precisava de muito para se sentir bem.

Filha de pais separados, a protagonista tinha uma rotina dividida entre os dias em que passava na casa do pai, e os dias em que ficava com a mãe. Nesses dias com sua mãe, Elise desenvolveu o hábito de vagar pelas ruas altas horas da noite. Só ela, a escuridão e a música. Nada mais que isso. Foi em uma dessas caminhadas que Elise descobriu a Start – uma casa noturna que deu a ela novas perspectivas sobre si e sobre o mundo ao seu redor.

Foi na Start que Elise conheceu Vicky e Pippa. E ainda Char... Um DJ que acabou tornando-se uma pessoa muito importante no processo de amadurecimento de Elise. Foi com ele que ela passou acreditar em seu talento, beleza e carisma (O romance dos dois foi bonitinho, e olhe que eu não sou uma pessoa romântica), começando sua carreira de DJ, mas foi com ele que ela descobriu também que às vezes idealizamos as pessoas, como se elas não tivessem defeitos.
"As pessoas são o que são. Não importa o quanto você tente, é impossível transformá-las naquilo que você quer que elas sejam". 

Bom, tudo o que posso dizer é que eu AMEEEEI esse livro, antes de tudo, por ele falar de música. E também por que cada capítulo veio acompanhado de um trecho de uma canção e foi uma experiência única para mim, que já tenho o hábito de ler ouvindo música, ter uma melodia para embalar cada capítulo e ainda fazer com que possamos sentir um pouco da personagem; Que por sinal, gostei muito e me identifiquei bastante. Em vários momentos me vi nela. A playlist da minha vida entrou com toda certeza para lista dos melhores do ano! 

Abaixo segue a lista de músicas que acompanham os capítulos e ainda algumas canções bônus que são citadas pelos personagens.

      Bônus:
  1.  Girls and Boys - Blur
  2.   Temptation - New Order
  3. A Letter to Elise-  The Cure
  4. A Quick One, While He’s Away - The Who
  5. It's the End of the World as We Know It (and I Feel Fine) - R.E.M. 

0 comentários:

Postar um comentário