Review || Fuller House | Netflix


Olá, leitores e leitoras, tudo bem com vocês?

Hoje a review é de Fuller House, série original da Netflix que é um spin-off de Full House ou Três é demais (1987).

A série foi criada por Jeff Franklin, e produzida por Jeff Franklin Productions e Miller-Boyett Productions em associação com Warner Horizon Television.

Com estreia em fevereiro de 2016, a Netflix disponibilizou 13 episódios em sua plataforma.
Vários atores de Full House irão ter participações especiais na série, exceto Mary-Kate e Ashley Olsen, atrizes que alternavam o papel da fofa Michelle.

O elenco principal é composto por:
Candace Cameron Bure como D.J. Tanner-Fuller
Jodie Sweetin como Stephanie Tanner
Andrea Barber como Kimmy Gibbler
Soni Nicole Bringas como Ramona Gibbler
Michael Campion como Jackson Fuller
Elias Harger como Max Fuller
Dashiell e Fox Messitt como Tommy Fuller, Jr.

A história se passa em San Francisco, na mesma casa de Danny Tanner (Bob Saget) pai de D.J Tanner-Fuller e de Stephanie Tanner.

Após resolverem que não vão mais vender a casa. D.J, sua irmã e melhor amiga Kimmy Gibbler decidem morar juntas.

D.J tem três filhos com seu falecido marido. O rebelde J.D. (Michael Campion), de 13 anos, o neurótico Max (Elias Harger), de 7 anos e o bebê Tommy Tommy. Kimmy acaba de se divorciar após descobrir várias traições do marido com quem tem uma filha adolescente Ramona (Soni Nicole Bringas).



No primeiro episódio, Michelle é mencionada pelas irmãs, e Danny diz que ela está em Nova Iorque cuidando de sua linha de roupas próprias. O que é exatamente o que as gêmeas Olsen fazem, elas não atuam já há algum tempo e quando receberam o convite sentiram medo de voltar atuar, o ator John Stamos (Tio Jesse) disse em uma entrevista. Tentaram recrutar a irmã mais nova, Elizabeth Olsen, porém ela também recusou o papel.

Fuller House bateu o recorde de visualização quando foi lançado o trailer oficial no canal doYoutube da Netflix. Tirando a posição de Orange is the new black, que até então era o trailer com mais visualização.

Quem se lembra de Full House (Três é demais) com certeza vai adorar esse spin-off. São episódios curtinhos e é ideal para assistir depois do almoço quando chega da aula ou em domingo de tédio com os amigos e família.

Deixem nos comentários a opinião de vocês a respeito desse clássico dos anos 1990.

0 comentários:

Postar um comentário