Resenha || Perdida no Paraíso | Bhetys Oliveira | Editora Arwen


Perdida no paraíso

Bhetys Oliveira

Gênero: Romance
Editora: Arwen
Número de Páginas: 367
Edição: 2016
Avaliação: ★★★★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Kristen Berkeley já não era mais a mesma. Após a morte de sua irmã gêmea, ela é mandada para morar com o pai em Nova York. Longe de seu passado, tudo o que Kristen deseja é poder recomeçar sua vida e esquecer os verdadeiros motivos que lhe levaram até aqui. No entanto, tudo muda quando ela conhece Landon Parker. Um jovem impulsivo e rebelde, que ver em Kristen algo mais do que uma simples conquista. Perdida no paraíso é uma história de superação e recomeço, que vai mudar para sempre a vida desse casal, que terá que lutar contra todos os segredos que dificultam o tão sonhado Feliz Para Sempre.















"Engraçado que momentos bons, quando acabam, deixam aquele vazio que parece que nunca iremos preencher novamente."
Caro leitor,

Venho por meio desta carta, vos falar de mais um livro, que não só me atraiu, mas me fez crescer como leitora, e me deixou apreensiva por sua continuação. Quero revelar que... Não esperem, eu estava escrevendo uma carta? Sim, estava..., mas parei. Perdida no Paraíso é o nome do livro que me trouxe tamanha inspiração e, sem dúvida, a carta é um dos gêneros mais utilizados em livros, filmes, séries para revelar diversos segredos. E com este não poderia ser diferente. Vamos às explicações.

Kristen é a personagem central dessa narrativa. Uma garota de vidro, quebrada pelo tempo e através dele, depois da trágica perda de sua irmã gêmea Kathy. Seus pais são divorciados. A mãe da garota nunca a teve como a predileta. E para completar a situação, a mulher a culpa pela morte de Kathy. Um ódio enorme é gerado durante a trama entre as duas - mãe e filha. De um lado Kristen está ferida, sente-se sozinha. E carrega uma culpa que não é sua.


Briga vai e briga vem, a mãe de Kristen entra em surto e a obriga a morar com o seu pai em outra cidade. O padrasto da menina a ama muito, mas não impede e nem faz com que a mãe de Kristen mude de ideia. E assim segue seu caminho, e vai morar em uma outra cidade com o seu pai.

A partir daí a estória acontece de forma muito rápida e gostosa. Ao chegar na cidade, Kristen ganha uma melhor amiga, a sua prima que por diversas vezes lhe acolheu e tirou do tédio. Tudo é muito novo para a garota: a escola, a convivência com seu pai e, principalmente, Landon, um cara enigmático que a atraiu desde que trocaram olhares no primeiro dia de aula.

Landon segue a mesma linha depressiva de Kristen: pais separados, rancor pelo pai, amor pela mãe. Nunca soube o que era ser amado, já que sua mãe trabalhava horas a fio para lhe dar o melhor. E deu sim! O garoto era muito rico e extrapolava nas festas, bebidas e com as garotas. Era mulherengo e magoava muitos corações, até conhecer o de Kristen, por quem sentiu-se atraído.

Krsiten e a sua prima foram a uma festa, na casa de Landon. E durante um curto período de tempo algo terrível quase aconteceu com a garota, ela quase fora estuprada (não me imagino em uma situação assim, já não bastasse ser odiada pela mãe). Por sorte, Landon aparece e dá uma lição nos caras, e depois desse momento os dois só tiveram motivos para continuarem cada vez mais próximos.
"Landan é a criatura mais perfeita que eu já encontrei, para muitos ele não passa de um bad boy destruidor de corações mas para mim ele é a pessoa mais incrível e apaixonante que já conheci. Ele sabe exatamente como me agradar, e amá-lo está ficando cada dia mais fácil."

O primeiro encontro, o primeiro beijo, a primeira briga, a reconciliação e o que veio em seguida tornou a estória ainda mais viciante. A Bethys tem uma escrita tão leve, que torna os acontecimentos mais chocantes em cenas viciantes, não deu para desprender, estive perdida nesse paraíso!

"Quando estou com ele, sinto como se eu pudesse respirar e esquecer todo o meu passado."
O livro é contado na visão de Kristen e Landon, por capítulos intercalados, o que no início me causou um certo receio, pois não são todos os autores que sabem trabalhar com uma explanação e visão do enredo desse tipo. De fato, a leitura alternada pelos protagonistas foi algo positivo, porque pude compreender o enredo psicológico de cada um. A voz de cada personagem fora bem demarcadas no livro, assim com a narração e o desfecho dela.

Perdida no paraíso é um Romance, no entanto o que prevalece é o drama familiar, que se estende até o último capítulo, tal qual podemos entender como e o porquê da morte de Kathy, deixados por ela em uma carta. Não esperem um“felizes para sempre” até mesmo porque o livro tem um continuação, o que me deixa ainda mais ansiosa para a segunda leitura.

O talento e a criatividade da Bethys Oliveira me animou, pois pude perceber como os autores brasileiros estudam, tentam cada vez mais transformar a escrita, linguagem e estória em alta qualidade. Recomendo a obra para os leitores antenados em drama família, um bom romance cercado por cenas hots, e personagens que falham, não são perfeitas, como nós, mas buscam o perdão do outro.
"Quando estou com você, tudo parece certo, é como se te conhecesse desde sempre, não sei como passei esse tempo todo sem você"

0 comentários:

Postar um comentário