Resenha || O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias | Douglas Adams | Arqueiro

O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias

O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias 

Dlougas Adams

Título original: The Hitchhiker's Guide to the Galaxy
Gênero: Ficção Científica, Humor
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 672
Edição: 2016
Avaliação: ★★★★ ★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Pela primeira vez, reunimos em um único volume os cinco livros da cultuada série O Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams. Com mais de 15 milhões de exemplares vendidos, a saga do britânico esquisitão Arthur Dent pela Galáxia conquistou leitores do mundo inteiro. O humor ácido e as tramas surreais de Douglas Adams se tornaram ícones de uma geração e seguem fascinando - e divertindo - leitores de todas as idades. Pegue sua toalha, embarque nessa aventura improvável e, é claro, não entre em pânico! 


"Todo mundo tem seu momento de grande oportunidade na vida. Se acontecer de você perder o que lhe interessa, então tudo se torna assustadoramente fácil. "



O Guia do Mochileiro das Galáxias

Segundos antes de a Terra ser destruída para dar lugar a uma via expressa interespacial, Arthur Dent é salvo por Ford Prefect, um E.T. que fazia pesquisa de campo para a nova edição de O Guia do Mochileiro das Galáxias. Pegando carona numa nave alienígena, os dois dão início a uma alucinante viagem pelo tempo e pelo espaço. 


O Restaurante No Fim do Universo

Arthur Dent e seus quatro estranhos companheiros viajam pela Galáxia a bordo da nave Coração de Ouro, em uma busca desesperada por algum lugar para comer. Depois de fazer a refeição mais estranha de suas vidas, eles seguem pelo espaço e acabam descobrindo a questão sobre a Vida, o Universo e Tudo Mais. 


A Vida, o Universo e Tudo Mais

Arthur Dent passou os últimos cinco anos abandonado na Terra pré-histórica, mas ainda acordava todos os dias com um grito de horror. No entanto, talvez fosse melhor continuar nessa tediosa rotina do que ser arrastado para a sua próxima missão: salvar o Universo dos temíveis e infelizes robôs xenófobos do planeta Krikkit. 

Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes!


Depois de viajar pelo Universo, ver o aniquilamento da Terra, participar de guerras interestelares e conhecer criaturas extraordinárias, Arthur Dent está de volta ao seu planeta. E tudo parece estranhamente normal - exceto pelo desaparecimento dos golfinhos. Disposto a desvendar esse mistério, ele parte em uma nova jornada.

Praticamente Inofensiva

Após muitos anos vivendo separados, cada um em um canto mais insondável do Universo, Arthur Dent, Ford Prefect e Tricia McMillan se reencontram. Mas o que deveria ser uma festejada reunião de velhos amigos se transforma numa terrível confusão que põe em risco - mais uma vez - a vida de todos. 



Primeiramente quero dizer que, neste post, não estarei resenhando os livros do Guia, e sim a belíssima edição publicada pela Editora Arqueiro. Mas NÃO ENTRE EM PÂNICO! Pois teremos sim resenha de todos os volumes aqui no Os Nós. Concordam que o post ficaria imenso se eu resenhasse todos de uma só vez? 

Essa edição não poderia estar mais caprichada. Quem já é fã dos livros não pode deixar de adquirir um exemplar, e quem quer começar a ler... precisa adquirir esse também! Além do conforto de se ter os 5 volumes reunidos em um só livro, sendo este capa dura, o custo-benefício é realmente muito bom. Me fala, quem não quer essa lindeza embelezando a estante? 

Uma curiosidade: O livro foi publicado pela primeira vez em Londres, no ano de 1979, e em apenas 3 (três) meses, 250 mil cópias foram vendidas! Bem, muitos jovens na época, e principalmente nas décadas de 80 e 90, eram viciados em obras de ficção científica, o que contribuiu e muito para que O Guia fosse um estrondoso sucesso de vendas. 

Até hoje um sucesso, na verdade, e, todos os anos, no dia 25 de Maio, fãs ao redor do mundo comemoram o Dia da Toalha. Não entendeu nada?

No livro o autor dedica uma página inteira para dizer o quão a toalha é importante para um mochileiro, e os fãs, depois da morte do autor, para homenagear Adams  - que fez tanta gente morrer de rir -, criaram O Dia da Toalha. Desse dia, alguns fãs carregam uma toalha com eles durante todo o dia.
(...) a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valor prático: você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla; pode deitar-se sobre ela nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V, respirando os inebriantes vapores marítimos; você pode dormir debaixo dela sob as estrelas que brilham avermelhadas no mundo desértico de Kakrafoon; pode usá-la como vela para descer numa minijangada as águas lentas e pesadas do rio Moth; pode umedecê-la e utilizá-la para lutar em um combate corpo a corpo; enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas ou para evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal (um animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você -estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz); você pode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro; e naturalmente pode usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa. (trecho do livro)

Estou lendo o livro no momento e me divertindo horrores. Realmente a obra é totalmente nonsense, o que torna tudo ainda mais cômico.

Você já leu? O que achou?
E aí, ficou babando nessa edição também? ;)

0 comentários:

Postar um comentário