[Resenha] Amor de Cordel | Andrea Marques | Editora Pandorga


Amor de Cordel

Andrea Marques

Gênero: Romance
Editora: Pandorga
Número de Páginas: 400
Edição: 2016
Avaliação: ★★★
* Livro cedido em parceria com Lilian Comunica
Sinopse: Aos 38 anos de idade, Carolina Borges achava que tinha a vida perfeita. Casada com Miguel, era feliz mesmo sem ter realizado o sonho da maternidade. No entanto, a convivência com o marido e seu bom desempenho profissional a deixavam satisfeita e segura. O destino lhe prega uma peça e, sem esperar, ela vê sua vida se modificar significativamente. Seu casamento chega ao fim, e sua carreira como terapeuta ocupacional, que sempre lhe proporcionou alegrias, passa a torturá-la. Isso acontece quando o jovem arquiteto Alexandre Bastos entra em seu consultório pela primeira vez, despertando em Carol sentimentos conflituosos que a farão repensar seus valores e a obrigarão a sair de sua zona de conforto para se arriscar em terrenos desconhecidos que poderão colocar em risco sua própria vida. Permeado por traições e intrigas, Amor de cordel é um romance contemporâneo que traz à tona assuntos do universo feminino, além de despertar a paixão até nas mulheres mais modernas e independentes.
Um romance cativante, emocionante e cheio de reviravoltas. Amor de Cordel traz uma história tocante que exala esperança e um recomeço espetacular.

Carolina é uma terapeuta ocupacional com seus trinta e oito anos e se ver na situação mais inesperada de sua vida: Um Divórcio. Seu marido, Miguel, depois de longos catorze anos de casamento decide que quer se separar para viver ao lado do seu novo amor. Carol sente-se desnorteada, mas aceita que nem tudo é para sempre.

Nos primeiros quatros meses após o fim de seu casamento, Carol sente-se sozinha e desolada. Chora frequentemente e por ser tímida, insegura e fechada não tem muitos amigos e possui apenas o apoio familiar para conseguir seguir em frente. Decide então que a dor e o “luto” devem ser deixados de lado e faz uma mudança radical. Muda a cor dos cabelos, começa a fazer aulas de ballet e ver a vida com mais leveza e menos cobrança e, como o Destino sempre apronta conosco, coloca no caminho de Carol um paciente para lá de bonito e charmoso para embalar seu coração.

“[...] ela também mostra que é possível sorrir e esquecer um pouco das próprias dores quando se olha para a felicidade de quem amamos. ”

Alexandre é um arquiteto de renome e herdeiro de um dos homens mais ricos de São Paulo. Ele tem 27 anos e vive cada dia com intensidade e muitos desejos. Alex cruzou seu caminho com o de Carol no momento que necessitava de sessões de recuperação para sua mão machucada. No instante que cruza a porta do consultório na qual Carolina trabalha (e o amigo dele é dono) seu coração se apaixona pela Terapeuta. Carol também não se sente só atraída por ele, mas pela ética da profissão prefere omiti seus sentimentos.

Como o amor sempre fala mais alto, Alexandre que se sente pela primeira vez na vida apaixonado por alguém e luta para conquistar Carol e consegue depois de muitas investidas e paciência. Ela por ser mais velha não consegue lidar bem com o relacionamento, porém Alex ensina-lhe a não dar importância a preconceitos e ideias duvidosas.

“[...] todos os meus receios caíram por terra e eu disse a mim mesma que não importava o que iria acontecer no dia seguinte, mas eu me entregaria àquele jovem como nunca tinha feito com homem algum até então. ”

Os dois vivem meses de muito amor, companheirismo e muita paixão, todavia nada é “cor-de-rosa” para sempre e pessoas com inveja começam a investir contra a relação dos dois e como se uma Força Superior ouvisse os medos de Carol, Alex é pego em flagrante traindo sua namorada.

Carolina fica arrasada e entra em uma depressão profunda e perde toda a vontade de continuar a viver. Começa a ter pesadelos, desânimos e outros problemas que se agravarão com uma perda significante em sua família.

Será que Alex realmente traiu Carol? Por que um homem extremamente apaixonado trairia sua amada? Quem Carol perdeu nesse período? Será que Carol seguirá novamente se reerguer depois desse golpe?

Carol é uma personagem que parece com muitas mulheres. Não se acha bonita sempre, tem medo das críticas alheias, tímida demais, insegura em seus atos e ingênua com as pessoas. Tem preconceitos demais e após sua convivência com Alex que observamos uma maior evolução em seus conceitos e atitudes. Ela torna-se mais leve quando encontra pessoas com diferentes opiniões delas.

Alexandre é um jovem divertido, amoroso, determinado, porém muito ciumento e meloso. Ele ama Carol, mas a ver como uma “Posse” e isso me deixou bem indignada muitas vezes com as ações dele. Não queria que ela passasse muito tempo longe dela, desejava que ela morasse com ele com apenas dois meses de namoro e outras atitudes que beiravam ao machismo.

A família de Carol é um amor. O pai dela é um centrado, fechado, mas amoro demais com suas duas filhas. A mãe dela é muito conservadora e não gosta do Alex de primeira, porque ele é mais novo e temos a irmã maluquinha da Carol que é desapegada de ralações e descomplicada em seus relacionamentos.

Também temos os dois vizinhos de Carol que são um casal homoafetivo e que sofrem muito com os preconceitos das pessoas. Um deles foi expulso de casa e não pode mais olhar o filho por ser homossexual e tirando a agressão física que sofreram com um dos moradores do prédio na qual residem, entretanto, não se deixam abater e vivem uma relação inabalável de dez anos.

O tema central do livro é Ideias pré-concebidas. Tenho certeza que todos nós já tivemos ideias errôneas que permeiam nossas atitudes e opiniões e acabavam criando barreiras em nossas relações. Preconceitos, propriamente ditos. Problema em aceitar uma relação de uma pessoa mais velha com uma mais nova; relacionamentos entre pessoas de classes sociais (econômicas) diferentes; entre pessoas do mesmo sexo; relação entre paciente e médico (fora da clínica) e tantas outras ideias erradas que simplesmente repetimos sem saber o real significado delas.

Carol é uma mulher de conceitos ultrapassados e preconceitos enraizados e quando se liberta de um casamento que foi concebido sem reflexão, ela se depara com um mundo de muitas oportunidades e mergulha de cabeça nas “novidades” e evolui com seus posicionamentos mais firmes e independentes. Sente-se uma mulher verdadeiramente poderosa e merecedora do melhor.

Quantas vezes deixamos oportunidades passarem sem ao menos testá-las pelo simples fato de achamos que são erradas? Será que o moralismo que carregamos em nossos julgamentos não é pautado em “arreia-movediça”? Por que limitamos tanto nossa felicidade por causa de preconceitos ou opiniões alheias?

Amor de Cordel narra a história de uma mulher que compreendeu que a “vida é linda de viver” (Chimarrutis) e que somos capazes de nos reinventamos com o tempo e as mudanças sociais e pessoais que a vida nos exige em fazer.

A capa do livro expressa bem as emoções dos personagens. A aquarela simboliza as diversas fases da vida de Carol até o final do livro que me surpreendeu bastante e toda a delicadeza com a fonte utilizada nas letras, principalmente, nos títulos de cada capítulo atrelado as folhas amarelas e resistentes.

Um livro que conta uma história de superação, recomeço, amor, perdas e muita esperança.

0 comentários:

Postar um comentário