Resenha || Trilogia Exodus #1 | Exodus | Julie Bertagna | Farol Literário


Exodus

Julie Bertgna

Gênero: Distopia
Editora: Farol Literário
Número de Páginas: 344
Edição: 2011
Avaliação: ★★★★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: É 2100 e o mundo como conhecemos não existe mais. As cidades estão debaixo d’água e a civilização foi revertida a um estado primitivo. Em uma ilha isolada do norte, Mara, de apenas quinze anos, tem vontade de liderar seu povo em busca de um recomeço. Esta história comovente e poderosa leva à reflexão sobre a crise climática que enfrentamos hoje e as relações humanas levadas ao extremo.
Numa época distante havia um mundo... Um mundo repleto de milagres.


Exodus, livro I da Trilogia Exodus de Julie Bertagna é uma distopia que nos apresenta um mundo bem diferente do que conhecemos atualmente.

É 2100 e tudo o que ouvimos hoje sobre o aquecimento global e as consequências dele, já aconteceu. Agora o mundo está quase todo submerso. E foram poucos os que sobreviveram.
“De mãos dadas, as pessoas fazem um momento de silêncio ao redor da luz, sob o calor do fogo solar, juntas num mundo triste e frio. Uma centena de esperanças e desejos dispara em direção à fogueira e ao sol, com as fagulhas e fumaças”.
Nesse contexto conhecemos a população de uma pequena ilha chamada Wing. É lá que Mara, a nossa protagonista, mora com a família. Mara é uma adolescente de 15 anos cheia de sonhos, e um deles é sobreviver ao caos que está passando com o constante subir do oceano e as tempestades cada vez mais ferozes que uma hora ou outra vão acabar com a sua ilha e com a sua família e amigos.

Certo dia ela está navegando na Weave (uma espécie de navegador da internet onde milhões de sites estão abandonados – é um túmulo virtual do que sobrou do antigo mundo) quando encontra uma pista que lhe dá uma esperança que poderá mudar o seu futuro e da sua família: Munno.
“Talvez as pessoas inventem algo em que acreditar quando precisam de esperança”.  
Munno é a sigla de Mundo Novo, que até então era considerado apenas uma lenda na ilha, mas com a pista indicando uma salvação, Mara só tem uma escolha: arriscar levar a população de sua ilha para lá ou todos irão morrer submersos mais cedo ou mais tarde.
A aventura começa aí, na saída da população de Wing rumo ao Munno. Mas, seria bom demais pra ser verdade se ao chegar lá tudo fosse perfeito e todos fossem felizes para sempre, não é mesmo?

Logo Mara vai descobrindo que Munno não é um mundo para todos. Um muro separa os recém-chegados de tudo que existe lá dentro. Nesse meio termo, muitos dos refugiados acabam adoecendo ou morrendo e aí, a nossa querida protagonista decide atravessar as muralhas de Munno para pôr fim ao sofrimento não só dos seus amigos, mas também de todos aqueles que buscam um lugar para viver.
“O difícil, ela descobriu, não é saber como sonhar, e sim saber o que sonhar. E a coisa mais difícil de todas é quando encontramos a resposta para ambas as questões. Então começamos a acreditar nos nossos próprios sonhos – os sonhos impossíveis, irrealizáveis”
Do outro lado da muralha, Mara vê a imensidão da Cidade Celeste, e vê também um mundo submerso repleto de pessoas que não foram escolhidas para integrar esse ambiente destinado para os escolhidos. Essas pessoas são os Trenestres.  

A chegada de Mara ao acampamento deles causa certa euforia, pois eles acreditam em uma profecia - ‘A profecia da pedra’ - que prevê uma heroína que irá salva-los – e esta segundo eles, é Mara.

Bem, acho que é isso, tudo que eu mencionasse a partir daí seria uma chuva de spoiler, e bom mesmo é cada um descobrir tudo lendo!

Como todo início de trilogia ou série, o primeiro livro sempre tem muita informação, afinal, é um mundo novo que nos é apresentado. Iniciei a leitura com uma ideia completamente diferente do livro (achei que era apenas uma busca pela sobrevivência). Mas, com o desenrolar da leitura fui descobrindo um mundo MARAVILHOSO, cheio de elementos novos que não se parecem com nada que li até agora.

A razão para as quatro estrelas, foi o fato de a leitura ser um tanto devagar no início, mas todo o restante está muito bom. A diagramação está impecável, a capa também, confesso que solicitei essa obra pelo titulo e pela capa e valeu muito a pena. Eu não preciso dizer o quanto estou curiosa para ler a continuação, né? Então só posso desejar: Boa leitura!  


0 comentários:

Postar um comentário