Resenha || O Guia do Mochileiro das Galáxias #1 | Douglas Adams | Arqueiro

O Guia do Mochileiro das Galáxias

O Guia do Mochileiro das Galáxias 

Dlougas Adams

Título original: The Hitchhiker's Guide to the Galaxy
Gênero: Ficção Científica, Humor
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 204
Edição: 2005
Avaliação: ★★★★ 
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, O guia do mochileiro das galáxias vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado. Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do mochileiro das galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário. Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da "alta cultura" e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.

Olá, leitores! Lembram que fiz um post recentemente falando sobre a edição de O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias, publicado recentemente pela editora Arqueiro e reunindo os  5 volumes? Se ainda não viu, é só clicar AQUI. Naquele post eu não falei sobre minha experiência de leitura, então aqui estou para conversar um pouco sobre o primeiro volume. Vamos lá?


Arthur Dent está prestes a ter sua casa demolida pela prefeitura, que pretende construir um desvio no local. Em forma de protesto ele se joga no chão lamacento do jardim e  fica lá durante um bom tempo, até que seu amigo esquisitão Ford entra em cena... e o chama para tomar umas cervejas.

Ford Prefect é um alienígena, um pesquisador do livro O Guia do Mochileiro das Galáxias, que reúne tudo e todas as coisas sobre a vida, o universo e tudo mais. Sua estadia na terra deveria ser de apenas alguns dias, mas ele acabou ficando por 15 anos. Agora o planeta vai explodir e ele precisa dar o fora dali antes que seja tarde demais. Ah, pretende levar Arthur com ele. 

Junto ao embasbacado Arthur Dent, Ford pega carona em uma nave muito maluca, com seres que podem matá-los, recitando poemas...

Quando conseguem escapar dessa nave, uma coisa ainda mais maluca acontece: contrariando todas as possibilidades eles caem dentro de outra nave, a Coração de Ouro, nave essa que foi roubada pelo presidente da galáxia Zaphod Beeblebrox, que, acreditem se quiser, é semiprimo de Ford. 

E as bizarrices do enredo não param por ai, formando assim uma narrativa totalmente nonsense, mas extremamente engraçada e irreverente.
"_Ah, a vida - disse Marvin, lúgubre. - Pode-se odiá-la ou ignorá-la, mas é impossível gostar dela."
Eu comecei essa leitura com as expectativas nas alturas, e não me decepcionei! Ficção Científica não é meu gênero favorito, então não é um livro que eu leria normalmente. E a palavra normal passa longe dessa trilogia de 5 volumes (isso mesmo). Mas, como é de praxe, não entre em pânico! E leia esse livro. É demais! 

Mas, bem, leiam tendo uma coisa em mente: muita coisa aqui não faz sentido algum, e é um livro leve e interessante para dar risada e, se escavar bem, tirar algumas lições; além, claro, de ser um marco na literatura "moderna". 

Esse primeiro volume serviu bem como uma introdução tanto à ambientação, à escrita do autor e aos personagens... que são fenomenais. Em especial devo citar o robô Marvin, que tem uma profunda depressão e puro desprezo pela vida (além de um QI pelo menos 30 milhões de vezes superior ao do ser humano). Acho que vocês perceberam com o quote que selecionei mais acima. 

O final deixa um super gancho para o próximo, que lerei muito em breve e trarei minha opinião para vocês. Aguardem! 

0 comentários:

Postar um comentário