Resenha || Perdida #1 | Carina Rissi | Verus

PerdidaPerdida

Karina Rissi

Gênero: Romance
Editora: Verus
Número de Páginas: 364
Edição: 2013
Avaliação: ★★★★
Sinopse: Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo e lindo Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...
Sofia Alonzo tem 24 anos e adora tecnologia. Não vive sem seu computador e, sem sombra de dúvida, sem seu celular. Em uma noite de comemoração com sua melhor amiga, ela deixa o celular cair na privada, no banheiro do bar onde estava. No dia seguinte sua vida mudaria para sempre.

Acontece que Sofia, já desesperada por ter perdido o celular, vai à procura de outro na manhã do dia seguinte. O dia está calmo, estranhamente calmo para um sábado em São Paulo, mas ela não dá muita bola para isso e entra na primeira loja que encontra ali perto. 

A vendedora que a atende, uma mulher misteriosa e um pouco esquisita, diz saber exatamente o que Sofia precisa, e lhe oferece um celular muito bom e barato para ser verdade. Exultante com a pechincha e por ter finalmente um celular novamente, Sofia sai da loja e tenta ligar o aparelho, que emite uma luz branca insuportável, fazendo nossa protagonista, desnorteada, tropeçar em uma pedra e bater a cabeça. Quando acorda, está no século 19.
"Não tem nada de errado em gostar de ler histórias de amor, pelo menos nos livros elas tem finais felizes! Não machucam ninguém."
Sofia é salva então por Ian Clarke, que retornava de uma longa viagem e pensou que aquela estranha e bela mulher, praticamente nua, tivesse sido roubada e machucada por homans inescrupulosos. Ela, claro, não poderia simplesmente dizer que aquelas ERAM suas roupas, e que eram muito usadas no século 21, então diz simplesmente que está perdida. Questionando a própria sanidade, ela aceita a oferta de Ian de se hospedar em sua casa e ser visitada por um médico da família.


Claro que Sofia demora a entender o que lhe aconteceu de fato, e só entende tudo quando recebe uma ligação naquele celular da mulher o que o vendeu. Para voltar para casa, algumas fases precisam ser cumpridas, mas não especifica o que ela tem que fazer. Aos poucos algumas mensagens chegam, conforme as fases passam, mas o que fazer quando a maior vontade de Sofia já não é ir embora, e sim ficar? Ela não esperava se apaixonar...
“Nina tinha razão, eu nunca me apaixonara antes. Nunca me sentira tão vulnerável, fraca e tola como naquele momento. Era a primeira vez, e eu não sabia lidar com o que estava sentindo. Mas sabia, com cada fibra do meu corpo, que a agonia só acabaria quando eu estivesse nos braços de Ian novamente.”
Essa leitura foi uma agradável surpresa, pois não esperava gostar tanto! Esse romance me conquistou desde o início e só foi me envolvendo mais e mais até o final. A escrita da Carina é maravilhosa! Seu estilo é espirituoso, os personagens simplesmente apaixonantes.

Acompanhar o desenvolvimento do romance entre Ian e Sofia foi uma das coisas mais legais, pois eles foram feitos um para o outro, de todas as formas. As cenas dos dois juntos, tanto as românticas como as brigas e as passagens mais cômicas foram extremamente bem construídas, e eu não poderia ter ficado mais satisfeita com isso.

E gente! Que romance mais lindo! Eu não sou lá muito romântica, mas aprecio o gênero sim, e dentro dele esse foi um dos melhores que li no ano. Carina Rissi criou uma história encantadora sobre como muitas vezes precisamos nos perder para nos encontrar; ou cair no século 19 para nos encontrar, e, de quebra, um amor que ultrapassa as barreiras do tempo.

Como a própria protagonista diz: é glicose da boa!

Uma resenha bem rapidinha para deixar registrado aqui essa maravilhosa experiência de leitura! Espero que vocês leiam e se encantem tanto quanto eu.

0 comentários:

Postar um comentário