Resenha || A história secreta da criatividade | Kevin Ashton | Sextante


A história secreta da criatividade

Kevin Ashton

Título original: How to fly a horse
Gênero: Criatividade | História
Editora: Sextante
Número de Páginas: 288
Edição: 2016
Avaliação: ★★★★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Ao desvendar os mistérios da invenção, Kevin Ashton mostra que a criatividade é mais o resultado de pequenos passos do que de saltos extraordinários. Com histórias fascinantes, estudos desafiadores e texto brilhante, este livro é imperdível.” – Adam Grant, autor de Dar e receber. Quando pensamos nos grandes inventores e gênios criativos, muitas vezes temos a impressão de que seus feitos são resultado de um momento de inspiração. Imaginamos que Mozart ouvia suas composições inteiras na mente antes de escrevê-las, que Einstein desenvolveu a Teoria da Relatividade durante uma conversa informal e que Kandinsky pintava suas obras numa única tarde. Mas, na verdade, a criação está longe de depender da sorte, da simples inspiração ou de algum dom especial. Em A história secreta da criatividade, o professor do MIT, Kevin Ashton, mostra que o processo criativo é lento, complexo, espinhoso e repleto de falhas, frustrações e recomeços. Por meio de histórias reais e inspiradoras – como a do menino de 12 anos que fez a produção mundial de baunilha crescer no século XIX, da mulher que realizou as primeiras descobertas sobre o DNA e dos irmãos Wright dominando a arte de voar – Ashton explora algumas das grandes invenções da humanidade para revelar a surpreendente verdade por trás de sua concepção. Ao analisar a trajetória de grandes nomes das ciências, das artes e dos negócios, o autor mostra que a capacidade criativa é inerente ao ser humano. O que faz com que alguns deles se destaquem, no entanto, é um misto de perseverança, trabalho duro e dedicação. De Arquimedes à Apple, dos Muppets à latinha de Coca-Cola, este livro é uma apaixonante investigação sobre o surgimento das ideias – e mostra que todos nós somos capazes de colocá-las em prática.
"Cada capítulo conta a história verdadeira de uma pessoa criativa; cada história vem de um lugar, um tempo e um campo de criação diferente e enfatiza uma ideia importante sobre criatividade. Existem narrativas dentro das narrativas e abordagens de ciência, história e filosofia." 

O livro de hoje é cheio de cores. Não, não tem relação nenhuma com a arte terapia, mas sim com a criatividade. Este é um tema divertido, mas que ao mesmo tempo as ideias divergem. Afinal, a criatividade é algo inerente ao ser humano? Seria ela um dom? Ou uma construção? É bem complexo responder a essas perguntas, ou definir o que seria criatividade. Sem dúvida é uma das minhas ferramentas de trabalho, mas preciso reciclar para ter sempre ideias inovadoras. Por exemplo, para escrever precisamos sim de muita criatividade, afinal é por meio dela que os autores do mundo inteiro criam e recriam as melhores narrativas.

Acreditem! Quando iniciei a universidade há alguns anos atrás, uma das minhas maiores dificuldades era usar a criatividade para escrever artigos, crônicas e poesias exigidas no curso de letras. Comprei vários livros de autoajuda e eu lembro bem que alguns vinham até como formulas prontas de como desenvolver a criatividade. Como assim?


É evidente que os maiores inventores na História da humanidade não criaram seus feitos de uma hora para outra. A exemplo temos Santos Dumont, o pai da aeronáutica, não criou o 14 Bis de uma hora para outra. Levou tempo, estudo, e muita paciência ao decorrer de suas tentativas até conseguir. Isso nos prova que a criatividade é construída. É nesse ponto que o autor Kevin Ashton nos mostra em seu livro. Todos nós somos criativos, o que nos falta muitas vezes é praticar. Afinal, “a prática leva a perfeição."

No livro, Ashton reúne pessoas famosas e que são conhecidas por sua criatividade, mas que nem sempre viveram da fama, reconhecimento e glamour por seus feitos. Ele cita até mesmo pessoas que nunca tiveram apoio ou material para idealizar e concretizar o seu trabalho, pelo simples fato não acreditarem que seria possível.

Grandes exemplos trazidos nesse livro comprovam que a criatividade é construída. Woody Allen é famosíssimo por seus filmes e roteiros espetaculares, mas ele conta que nem sempre a sua vida foi apenas sucesso. Ele teve que trabalhar e lutar pelo que ele queria mesmo quando ninguém acreditava que ele iria conseguir. E hoje, não só é cobiçado por grandes emissoras e produtoras de filmes, como também dá cursos pelo mundo inteiro.

Este livro veio em um ótimo momento! Devorei suas páginas em menos de três horas. Ele não é de autoajuda, mas é capaz de nos motivar por meio da sua reflexão. Não esperem encontrar formulas secretas ou receitas capazes de te tornar criativo, esteja aberto a receber conhecimento, e do mesmo modo que aprendi com essas experiências você também é capaz de entender que a criatividade não é um dom, mas é construída com muita luta e persistência, esta é a recomendação: esteja ciente de que não há formulas prontas para ser criativo!

Eu acreditei no poder dessa capa. A disposição de cores e escolha do título conforme a situação me chamarem a atenção logo de cara. E não me arrependi, diferente de outros livros que já escolhi pela capa. Neste eu tive a certeza de que fiz uma escolha maravilhosa, seja pela escrita do autor ou a sua diagramação.

0 comentários:

Postar um comentário