Resenha || Paixão sem limites | Abbi Glines | Editora Arqueiro


Paixão sem limites

Abbi Glines

Série: Sem limites #1 - Rosemary Beach #1
Gênero: Romance
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 193
Edição: 2013
Avaliação: ★★★★★ Favorito
Sinopse: Ele podia ter tudo que quisesse. Menos ela. Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.

Vocês já pararam para refletir em como um livro pode mudar nosso humor de uma hora para outra? Há livros que nos deixam tristes, outros que nos chocam, há aqueles que nos fazem refletir. Alguns que nos arrancam suspiros e há livros que causam tudo isso! Sim, um misto de emoções que por vezes se torna impossível descrever ou resumir o livro em uma palavra. Foi o que aconteceu quando li Paixão sem limites, da Abbi Glines.

Foi a primeira vez que tive contato com a série Rosemary Beach, e ao decorrer da leitura me senti uma adolescente. Abbi autora tem uma escrita direta, tornando a leitura interessante. O livro conta a história de Blaire, uma garota do Arizona; e Rush um cara apaixonado por Rock, e sem dúvidas um bad boy sem escrúpulos.

Blaire nunca teve momentos de paz, toda sua vida se resume em uma palavra: sofrimento. Perdeu a irmã que tanto amava, foi abandonada por seu pai. E, para completar, passou três meses cuidando de sua mãe sozinha. A morte dela foi algo inevitável. Por não conseguir sustentar a sua casa, a menina vendeu seu lar e sem nenhuma escolha teve que buscar ajuda daquele que a abandonara.

Ela sabia que seu pai havia se casado e tinha uma nova família. Ele nunca quis de fato saber como sua filha estava, e isso trouxe uma profunda angústia ao seu coração. Ao pedir ajuda, seu pai não se nega, pede para que a garota vá até a cidade de Rosemary, sua nova cidade. Blaire chega a tal casa, mas é surpreendida, o seu pai não estava! Havia viajado com sua madrasta, e mais uma vez tinha abandonado a menina. 


Para sua tristeza, Rush estava na casa (filho de sua madrasta) não ficou feliz com a sua chegada. Não sabendo qual destino tomar, porque estava sem nada, ela decide ficar, mas sabe que a relação com Rush não será nada fácil. Por outro lado, os irmãos de Rush, Grant e Nan recebem a garota muito bem dando início a uma bela amizade, mas ainda sim Nan apresenta alguns sinais de antipatia pela menina.

Rush permite a estadia de Blaire. É nesse ponto que a história de amor e ódio entre os dois começam. A todo momento Rush alerta a garota que não é um homem fácil. E ela sabe que esse envolvimento resultaria em dor. Ela não sofrerá o suficiente? Se permitiria sofrer mais uma vez por um desconhecido?
“Sentia uma atração por ele que não conseguia explicar. Quanto mais ele mantinha distância, mais eu queria me aproximar.”

Paixão sem limites foi uma leitura rápida e cheia de oscilações, isso porque não temos nenhuma ideia de qual será o final para Baire e Rush.

Blaire é uma menina forte e por isso me identifiquei com sua personalidade. Mesmo quando tudo parece estar perdido ela tinha a capacidade de criar forças para seguir em frente. Por outro lado, crie uma aversão por Rush. Por mais que o relacionamento entre os dois seja de tirar o folego, eu não saberia lidar com um cara tão grosso e indeciso. Algumas vezes a minha vontade era de socar o travesseiro, pelas escolhas tomadas por ele. Agora acreditam no misto de emoções que falei no início?

Por mais que se trate de um livro entre menina do Arizona e bad boy ele nem de longe é clichê. Afinal, o que de fato é um enredo clichê para você?

A autora soube trabalhar as personagens e a narrativa como um todo, tanto na sua superficialidade quanto na sua profundidade. Rush é o tipo de personagem que precisaria passar por várias consultas psicológicas. Há quem pense, que a Blaire precisaria... Mas quem leu o livro sabe do que estou falando.

No livro há um segredo muito forte guardado por um deles dois, que me arrancou algumas lágrimas no final. A reflexão que tiro do livro como um todo é a dificuldade em lidar com a perda, com a solidão, o abandono e com o pensamento: será que vou ter a chance de ser feliz?
“... Eu afasto as pessoas, Blaire. É um mecanismo de proteção que eu tenho. Mas de você eu não quero me afastar.”
A diagramação e folhas amareladas são pontos que sempre destaco nas resenhas, por serem relevantes e facilitarem a leitura. A Arqueiro sempre teve sucesso nesse aspecto. A capa é maravilhosa e bem chamativa. Pensava que Blaire seria a garota má, mas a Abbi mudou minha opinião. A recomendação da leitura é para aqueles que já conhecem a saga e leram outros livros da autora.  

0 comentários:

Postar um comentário