Resenha || A irmã da Sombra | Lucinda Riley | Arqueiro


A irmã da sombra | A história da estrela

Lucinda Rilya

Série: As sete irmãs #3
Gênero: Romance
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 192
Edição: 2016
Avaliação: ★★★
Sinopse: Em A irmã da sombra, terceiro volume da série As Sete Irmãs, duas jovens igualmente determinadas, porém de séculos distintos, conectam-se por meio de diários que retratam uma vida intensa de superação, amor e perdão. Estrela D’Aplièse está numa encruzilhada após a repentina morte do pai, o misterioso bilionário Pa Salt. Antes de morrer, ele deixou a cada uma das seis filhas adotivas uma pista sobre suas origens, porém a jovem hesita em abrir mão da segurança da sua vida atual. Enigmática e introspectiva, ela sempre se apoiou na irmã Ceci, seguindo-a aonde quer que fosse. Agora as duas se estabelecem em Londres, mas, para Estrela, a nova residência não oferece o contato com a natureza nem a tranquilidade da casa de sua infância. Insatisfeita, ela acaba cedendo à curiosidade e decide ir atrás da pista sobre seu nascimento. Nessa busca, uma livraria de obras raras se torna a porta de entrada para o mundo da literatura e sua conexão com Flora MacNichol, uma jovem inglesa que, cem anos antes, morou na bucólica região de Lake District e teve como grande inspiração a escritora Beatrix Potter. Cada vez mais encantada com a história de Flora, Estrela se identifica com aquela jornada de autoconhecimento e, pela primeira vez, está disposta a sair da sombra da irmã superprotetora e descobrir o amor.

“Cultive não apenas o esplêndido jardim que criamos juntos, mas talvez o seu próprio, em outro lugar. E, mais do que tudo, cultive a si mesma. E siga a sua própria estrela. Chegou a hora” p.32
Pa Salt é um velho homem que tomou a incrível decisão de adotar sete meninas. Para cada uma deu-lhes o nome que compõe uma constelação. Sua morte foi misteriosa e desagradável e dessa forma deixou suas meninas com um dever: Cada uma deveria recebeu pistas para procurar suas origens. Maia e Ally fizeram suas viagens beirando o presente e o passado para que dessa forma construíssem um futuro melhor.

Chegou a vez de Estrela, uma personagem inanimada e sem muitos problemas ou sofrimentos. Seu destino? Uma pequena e estranha livraria onde encontrará Orlando, que terá as respostas necessárias para seguir com a sua busca.

Após descobrir que o seu destino está ligado ao de Flora MacNichol, uma mulher que viveu no início do século XX cheia de mistérios e um deles foi passar sua vida nas sombras, abdicando de sua família e das pessoas que amava. Fez coisas que mudou as gerações seguintes e sem dúvida mudou a vida de Estrela. Cabe a jovem encontrar a luz em meio as sombras! Será que ela vai conseguir?
“O carvalho e o cipreste não crescem à sombra um do outro” p. 436
Por mais que a personagem não tenha um crescimento forte nos livros anteriores percebemos uma evolução no que se diz respeito à independência por buscar as questões do seu passado. A simplicidade da protagonista é o que a torna cativante e complexa. Comparo a uma flor exótica que não germina sem os cuidados necessários: sol, terra fértil, água. etc. forma os ingredientes necessários para que ela amadurecesse. Sem contar que Pa Salt, o seu pai adotivo, deu-lhes uma nova chance de conhecer a si mesma através das pistas.

Um fato curioso é que mesmo sendo uma série de livros podemos realizar uma leitura independente, pois uma história não liga a outra. Cada irmã teve sua busca e dessa forma procuraram nas pistas as respostas de seu passado.

“Muitas vezes, a coragem silenciosa, a gentileza e a força interior passam despercebidas. Ela não transformou o mundo, mas tocou as vidas de quem estava à sua volta e as mudou para melhor. E, ao fazer isso, encontrou a si mesma” p. 502

O título diz muito da narrativa porque liga a vida de Estrela com a de Flora, em minha opinião foi uma jogada de mestre da autora! Por muito tempo ambas viveram nas sombras até que um boom muda o destino das duas. E dessa forma as personagens secundárias ganham papeis essenciais na vida de Estrela e de Flora, a exemplo Ally, que tem sua história narrada concomitantemente com a de sua irmã.

Por mais que não seja apaixonada pelos livros da Lucinda consegui me ligar a esse. Talvez pela personalidade de Estrela e identificação em alguns momentos. Nesse livro os fatos acontecem naturalmente e não há uma “forçação” para que a personagem atinja os seus objetivos. Outro fato legal é o transitar entre passado e presente por não causar confusão. Consegui compreender cada detalhe e liga-los. Houve momentos em que chorei, em outros torci para que Estrela tive um final merecido e, por fim, deixei acontecer e me surpreendi com o final escolhido pela autora. 

A ambientação é digna de cinema! A descrição Londrina em meados do século XX ao passo em que conhecemos a zona rural de Cúmbria torna a obra deliciosa e cativante. A capa e diagramação são detalhes porque a história não deixa DESEJAR. Realizamos uma viajem maravilhosa em meio a lugar pacato e tentador. Desse modo, recomendo a obra para todos os que acompanham a série e apreciam a escrita da Lucinda. Mesmo aqueles que ainda não conhecem a escrita da autora, esse é um livro para se apaixonar.

0 comentários:

Postar um comentário