Resenha || Bruto | Thedy Corrêa | Editora Belas Letras


Bruto

Thedy Corrêa

Gênero: Poesia
Editora: Editora Belas Letras
Número de Páginas: 136
Edição: 2016
Avaliação: ★★★★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse:
Imagine-se manuseando os cadernos de Thedy Corrêa e deixe-se levar por textos publicados tal qual surgiram: palavras simples, no estado Bruto, sem retoques. Poemas, divagações em horas de insônia e anotações de viagens se misturam com histórias sobre como surgiram as canções do Nenhum de Nós, banda da qual Thedy é vocalista e um dos fundadores. A edição deste livro também foi concebida para ser lida como se fossem anotações de rascunho no estado bruto, tanto pela capa como pelas costuras aparentes.
"Sempre sonhei /com o poder das palavras/ das lembranças"


Até bem pouco tempo eu não lia Poesia, não sei por qual razão, não me sentia atraída pelo gênero, ou melhor, acho que não tinha maturidade suficiente para captar o sentido que cada verso trazia. Felizmente, me dei a chance de conhecer essa outra maneira de expressar sentimentos, e o resultado é que estou simplesmente encantada. 

Agora que já revelei minha relação com a poesia, vou contar sobre a minha relação de amor, com Bruto de Thedy Corrêa, vocalista da banda gaúcha Nenhum de Nós

O título do livro já chama a atenção por si só: Bruto. Sim, Bruto, por que as palavras estão ao natural, sem alterações, se originaram de insights, divagações e foram publicadas da mesma maneira em que foram escritas por Thedy.  

Os poemas são de uma sensibilidade imensa. Os temas variam bastante: Amor, amizade, diferenças sociais, preconceito. Além dos poemas, o livro também traz algumas canções que foram compostas por Thedy, e acompanhado de cada letra, uma explicação breve contando a história por trás da canção. 

Eu gostei muito de cada poema, alguns me tocaram mais como O sorriso de Jennifer que foi dedicado a um amigo de Thedy que sofreu violência e descriminação e Mais bonita, que fala dos padrões de beleza feminino, que acabam fazendo muitas mulheres perderem sua essência em busca de se encaixar em um padrão social absurdo. 

"Jennifer/ o mundo é cruel /o teu sorriso não te protegeu /dessa falta de amor/ da estupidez humana/ de alguém que não consegue/ ver você feliz"

Ler Bruto foi uma experiência muito boa, mais uma vez me aproximando da poesia, e o melhor de tudo da literatura nacional. O gênero é uma delícia de ler, é delicado e intenso, faz você parar pra pensar em várias coisas, nas coisas pequenas, cotidianas, que passam despercebidas. 

A edição contribuiu muito com a sensação que a leitura me proporcionou. O livro veio em estado Bruto, sem capa. Dentro de uma caixinha que contém o título e a assinatura feitos com a letra do Thedy. Então a sensação que dá é de que estamos com um caderninho antigo, desgastado pelo tempo. As poesias foram digitalizadas, mas temos amostras dos rascunhos que foram feitos pelo autor. 

Suponho que os sonhos não se vendem [...]

Se assim como eu, você não dava uma chance para a poesia e está afim de mudar isso, indico que comece por Bruto. Boa leitura.   

0 comentários:

Postar um comentário