Resenha || O Feiticeiro de Terramar | Ursula K. Le Guin | Editora Arqueiro

O Feiticeiro de Terramar

O Feiticeiro de Terramar

Ursula K. Le Guin

Título original:  A Wizard of Earthsea
Gênero: Fantasia
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 176
Edição: 2016
Avaliação: ★★
Sinopse: Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda. Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários. Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia. Ged é um predecessor em magia e rebeldia de Harry Potter. E Ursula K. Le Guin é uma referência para escritores do gênero como Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman.
O Feiticeiro de Terramar nasceu depois de uma proposta feita pelo editor da autora, que pediu que ela escrevesse algo voltado para os jovens. Sua primeira reação foi negar o pedido, pois ela não escreveria pensando na idade de quem leria, mas pensando melhor ela resolveu arriscar e escrever algo para todas as idades, mas de um gênero que os jovens amavam na época: fantasia.

Mas ela precisava de um mago em sua história; de um personagem que poderia tocar melhor os leitores, se aproximar deles. Então veio sua ideia: os grandes magos da literatura fantástica são velhos, barbudos e corretos, certo? Mas antes de se tornarem quem são, eles precisaram de um inicio, um começo. E foi dessa reflexão que nasceu também o protagonista desse livro, Gavião.


Acompanhamos a história de um menino humilde, que mora com seu pai em um pequeno lugarejo. Lá mora também uma feiticeira, que ao perceber o poder que existe dentro dele, o ensina pequenos feitiços e tudo o que sabe sobre magia, o que não é muito, mas serve para mantê-lo interessado e com vontade de aprender mais e mais. Depois de um episódio que o deixa gravado para sempre na mente de seus vizinhos, ele se torna uma lenda e vai então para uma grande escola de magos.
"Quando você conhecer todas as partes da quatro-folhas em todas as estações, raiz, folha e flor, ao vê-la e pelo aroma e a semente, então poderá aprender seu verdadeiro nome, conhecendo seu ser: o que é mais que seu uso. Qual é o seu uso, afinal? E o meu? O monte de Gont é útil? E o mar Aberto?"
Lá as coisas começam a dar errado quando sua força é posta a prova por um dos alunos da escola. Sempre vaidoso, ele aceita um desafio, e assim libera uma terrível força das trevas que o seguirá para sempre, ou até que ele descubra uma forma de destruí-la.

Em meio a incríveis aventuras em terra e também em mar aberto, ele terá que encontrar não apenas o ponto fraco da sombra o que persegue, mas a força necessária para encontrar a si mesmo.
“Para que uma palavra seja dita é necessário silêncio. Antes e depois.”
Ged é um personagem que acompanhamos desde a infância até a vida adulta, e por mais que seja um livro fino, com suas 176 páginas, conseguimos compreender bem sua personalidade e ações. Ele é um garoto orgulhoso, vaidoso e arrogante, que está sempre tentando provar alguma coisa. Depois de muitas rasteiras que leva, ele começa a amadurecer e assim nos deparamos com um homem forte e imprevisível na segunda metade do livro.

Ele não é um herói perfeito. Comete muitos erros e sofre consequências. Suas escolhas não são sempre as melhores, mas com isso ele se mete em algumas enrascadas, mantendo presa a atenção do leitor.

O Feiticeiro de Terramar foi publicado em 1968, e naquela época poucos eram os livros do gênero que eram reconhecidos, apesar da trilogia O Senhor dos Anéis ter feito grande sucesso por muito tempo. O livro de Ursula K. Le. Guin se tornou então um clássico da literatura fantástica, inspirando grandes nomes como Neil Gaiman e Joe Abercrombie. 
"Para ouvir, deve-se estar calado..."
Essa foi uma leitura envolvente e surpreendente em muitos aspectos. Algumas partes são um pouco monótonas, mas a autora paga isso com muitas lendas e feitiços que atiçam o leitor. O final não foi tão bom, mas a autora mantém uma nuvem de mistério sobre o desfecho que me adragou e me fez desejar a continuação. Esse é o primeiro de quatro volumes, então tem muito mais sobre Terramar para ser explorado. O segundo livro será publicado em 2017 pela Arqueiro. Mal posso esperar!

Essa é uma ótima pedida tanto para os fãs do gênero como para aqueles que querem começar. Tenho certeza que será uma experiência única!


0 comentários:

Postar um comentário