Resenha || Nenhum de Nós: A Obra Inteira de Uma Vida | Marcelo Ferla | Editora Belas-Letras


Nenhum de Nós: A Obra Inteira de uma Vida

Marcelo Ferla

Gênero: Biografia
Editora: Belas Letras
Número de Páginas: 272
Edição: 2016
Avaliação: ★★★★
* Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse:
Acho que era outubro de 86. Ali começava uma história que continua até hoje. E só parece melhorar. Uma história sobre três garotos sem os braços tatuados, nerds e amigos de colégio, que amavam música, sonhavam em formar uma banda de rock e subiam em um palco juntos pela primeira vez. Um líder nato de voz potente, um gordinho simpático e um magrão que lembrava personagem de novela. Os três tinham muito em comum: nenhum de nós enxerga bem; nenhum de nós serviu no quartel; nenhum de nós repetiu na escola. Logo o trio virou o clube dos cinco, superou algumas dificuldades, atravessou o escuro deserto do céu, e hoje, comemorando 30 anos, soma mais de 2 mil shows e fãs por todo o Brasil. O jornalista Marcelo Ferla conta aqui A obra inteira de uma vida, a história do Nenhum de Nós, de três amigos de escola, que conseguiram levar bem longe o sonho de tocar em uma banda de rock.
“O que Thedy Rodrigues Corrêa Filho, Carlos Eduardo Filippon Stein e Sady Homrich Júnior tinham em comum? - Nenhum de nós enxerga bem! – Nenhum de nós serviu o quartel! – Nenhum de nós repetiu a escola! E se puseram a repeti-la até que o ‘nenhum de nós’ isolado chamou a atenção suficiente para ser escolhido o nome de guerra da banda”.
Poster autografado que veio junto com o livro!
P.S.: Tem mais um para sorteio!  

Escrito Por Marcelo Ferla, Nenhum de Nós: A Obra Inteira de Uma Vida brinda os 30 anos da banda gaúcha que ficou marcada pelo sucesso O Astronauta de Mármore (Sempre estar lá e ver ele voltar...) versão que a banda deu para Starman de David Bowie
Para além desse sucesso, a banda deixou sua marca por sua personalidade ímpar e pelas melodias que tocavam e ainda tocam a alma de quem ouve suas canções.

Tudo começou em outubro de 1986 quando três jovens iniciaram um trajeto que não imaginavam que daria tão certo, a brincadeira de adolescência e juventude se tornou coisa séria para Thedy Corrêa (Vocalista), Sady (Baterista) e Carlos (Guitarrista) amigos de escola que levaram adiante o projeto e seguiram firme e forte com o Nenhum de Nós.

“Uma armação formada por dois guris de apartamento e um gordinho tocador de pagode, um grupo com canções sob medida que não pertenciam a nenhuma turma específica mais ligada ao rock ou algum movimento alternativo”.

Desde o nome, até o estilo de cada integrante, a banda sempre despertou curiosidade de todos, e o surgimento relâmpago e respectivamente o sucesso - que foram muito rápidos - contribuíram para aumentar essa curiosidade.  Em pouco tempo as canções já tocavam nas rádios locais, e o primeiro disco já estava em produção, coisa que muitas bandas não conseguem assim tão facilmente.

O segredo? Talvez não existisse um, mas existiam letras fantásticas que abordavam de maneira simples e sem rodeios diversos problemas sociais, dramas e sentimentos cotidianos, fazendo com que as músicas se tornassem trilhas sonoras dos momentos das pessoas comuns, que trabalham, estudam e sobrevivem...

Uma dessas letras foi a de Camila, Camila - sucesso de estreia da banda que denuncia a violência contra as mulheres, tendo como exemplos ‘Camilas’ do ciclo de amizade dos músicos que lidavam com o machismo dos namorados, pais, irmãos, etc.

“O Nenhum de Nós encarna fugazmente a essência do Rock ‘n’ roll: uns caras passeando a pé por temas cotidianos, insegurança, desamor, solidão, desesperança...”.

Hoje, com 30 anos de existência e dois integrantes a mais – Veco Marques e João Vicenti – a banda segue o mesmo padrão: letras tocantes que cativam seus fãs, um som diferente que combina com a personalidade dos homens que outrora foram meninos que não se encaixavam no perfil roqueiro, mas que ainda assim deixaram suas marcas por cada canto que passaram, inclusive fora do país.

Eu já conhecia o trajeto do Nenhum de Nós e para mim foi uma honra conhecer um pouco mais dessa história. Marcelo Ferla desenvolveu um trabalho incrível! Além de nos contar as aventuras dos integrantes da banda, ele também conversou com amigos que fizeram e fazem parte dessa jornada, e nos possibilitou conhecer um Nenhum de Nós que só víamos através das músicas.

Gostei bastante da leitura, e preciso ressaltar a beleza dessa edição, cheia de detalhes, com uma diagramação muito bonita. Além disso, o final do livro trás algumas fotos de momentos que marcaram as fases da banda até os dias atuais. Indico essa leitura para os fãs da banda e para quem assim como eu não é fã, mas conhece e admira o trabalho deles. Boa leitura!  
  

0 comentários:

Postar um comentário