Resenha || Retalhos | Craig Thompson | Quadrinhos na Cia.


Retalhos

Craig Thompson

Gênero: Graphic Novel
Editora: Quadrinhos na Cia
Número de Páginas: 592
Edição: 2016
Avaliação: ★★★★★
Sinopse:
Uma das graphic novels mais premiadas dos últimos tempos, Retalhos é um relato autobiográfico da vida no Meio Oeste americano. Thompson retrata sua própria história, da infância até o início da vida adulta, numa cidadezinha de Wisconsin, no centro dos Estados Unidos, que parece estar sempre coberta pela neve. Seu crescimento é marcado pelo temor a Deus — transmitido por sua família, seu colégio, seu pastor e as trágicas passagens bíblicas que lê —, que se interpõe contra seus desejos, como o de se expressar pelo desenho. Ao mesmo tempo Thompson descreve a relação com o irmão mais novo, com quem ele dividiu a cama durante toda a infância. Conforme amadurecem, os irmãos se distanciam, episódio narrado com rara sensibilidade pelo autor. Com a adolescência, seus desejos se expandem e acabam tomando forma em Raina — uma garota vivaz, de alma poética e impulsiva, quase o oposto total de Thompson — com quem começa a relação que mudará a visão que ele tem da família, de Deus, do futuro e, enfim, do próprio amor. Retalhos traz as dores e as paixões dos melhores romances de formação — mas dentro de uma linguagem gráfica própria e extremamente original.



Retalhos é uma Graphic Novel autobiográfica escrita por Craig Thompson e  publicada pela Companhia das Letras pelo selo Quadrinhos na Cia.. Nesse romance de formação vamos conhecer a história de Craig, uma criança que nasceu em uma família muito religiosa e que desde cedo sentiu o impacto dessas instituições em sua vida.

Enquanto criança, Craig ainda não entendia ou sentia o peso de tudo isso, ele apenas achava natural e aceitava como qualquer outra criança, entretanto, já era notável o quão insatisfeito ele se sentia com a vida que levava.

Em casa, era reprimido pelos pais, que dentro da doutrina cristã educavam severamente seus filhos. Na escola, Craig sofria Bullying. E na igreja já colocavam em sua cabeça que existia um céu esperando aqueles que eram bonzinhos na Terra e um inferno à espera daqueles que não seguiam as leis de Deus.

“De qualquer forma, eu havia encontrado uma forma bem mais fácil de escapar. Eu tentava sonhar”.

Conforme o tempo foi passando, e Craig foi crescendo ele próprio passou a cobrar mais de si, a achar que estava se distanciando dos caminhos de Deus. E que até mesmo seu único hobby - desenhar (que mais tarde se tornaria um grande talento) para ele se tornou um desvio.

Em seu último ano na escola e completamente perdido em relação a que carreira deveria seguir, o pastor da igreja incentivava-o a ir para o seminário. Mas, nesse meio tempo, em um acampamento gospel ele conheceu Raina. Uma menina cheia de atitude que estava farta de seguir uma doutrina na qual ela já não acreditava.
“Às vezes, ao acordar, as sombras dos sonhos são mais atraentes que a realidade”.

A aproximação dos dois foi imediata e eles se tornaram muito amigos. Depois do acampamento, eles trocaram correspondências, poemas, letras de música e desenhos. Até o dia em que Craig foi visitar Raina.

Após essa visita a vida de Craig nunca mais foi a mesma. Com Raina, ele pode ser ele mesmo, pode descobrir novos sentimentos e sensações, e pode ver o quão a família de Raina depositava responsabilidades sobre ela, assim como a sua. Desde então ele passou a repensar sua vida e suas crenças.

“A Bíblia, as igrejas, os dogmas... Só servem para criar limites entre pessoas e culturas”.

Com um traço delicado e imagens emocionantes Craig Thompson mostra-nos como é difícil enfrentar a família e seguir seu próprio caminho, assim como ir contra aquilo que passou a vida inteira acreditando. Craig deixa bem claro que acredita que existe um Deus em algum lugar, mas não que não acredita que chegamos a ele através de cânticos, ou que seus ensinamentos pudessem ser apreendidos por meio de letras impressas em papel.

Retalhos aborda temas muito fortes e nos faz pensar no quanto família e religião são importantes, mas também, no quanto eles podem nos distanciar de nós mesmo. Craig trata com delicadeza o seu processo de amadurecimento, em como passou a ter suas próprias crenças sem magoar seus pais. Nem preciso dizer o quanto amei essa leitura e recomendo não apenas para os fãs de Histórias em Quadrinhos, mas para todos que gostam de narrativas emocionantes. Boa leitura!



0 comentários:

Postar um comentário