Resenha || A cabana | William P. Young | Editora Arqueiro

Resultado de imagem para a cabanaA cabana
William P. Young

Gênero: Ficção
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 240
Edição: 2008
Avaliação: ★★★
Onde comprar: Livraria Saraiva | Submarino | Amazon
Sinopse: Durante uma viagem de fim de semana, a filha mais nova de Mack Allen Phillips é raptada e evidências de que ela foi brutalmente assassinada são encontradas numa cabana abandonada. Após quatro anos vivendo numa tristeza profunda causada pela culpa e pela saudade da menina, Mack recebe um estranho bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o para voltar à cabana onde aconteceu a tragédia. Apesar de desconfiado, ele vai ao local do crime numa tarde de inverno e adentra passo a passo no cenário de seu mais terrível pesadelo. Mas o que ele encontra lá muda o seu destino para sempre. Em um mundo tão cruel e injusto, A cabana levanta um questionamento atemporal: se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar o nosso sofrimento?

A cabana conta a história de Mackenzie ou Mack, que enfrentou uma infância difícil devido sua convivência com o pai que era alcoólatra e agredia a mãe fisicamente. Aos 13 anos de idade fugiu de casa e, após muitos anos, conseguiu reencontrar a mãe. Ele se mudou para Oregon local onde conhece Nannete ou Nan, sua esposa. Com ela teve cinco filhos, Jon, Tyler, Josh, Katherine (Kate) e Melissa (Missy).

Mack decide levar seus três filhos mais novos para acampar sem a presença da esposa, a intenção era cuidar das crianças sem a mãe por perto. Todos se divertiram muito, conheceram outras famílias que também estavam acampando no local. Conheceram muitos lugares novos. Mas algo terrível aconteceu. Josh e Kate, enquanto brincavam dentro de uma canoa no rio, próximo ao local do acampamento, caem na água. Apressadamente Mack vai salvar seus filhos e deixa Missy sozinha, desenhando próxima a barraca.

Missy desaparece. Mack e outros adultos passam horas procurando, juntamente com a polícia. A pessoa que sequestrou Missy deixou algumas pistas, já que era procurado há algum tempo pela polícia, pois já havia cometido crimes parecidos. 

Há ocasiões em que optamos por acreditar em algo que normalmente seria considerado absolutamente irracional. Isso não significa que seja mesmo irracional, mas certamente não é racional. Talvez exista a suprarracionalidade: a razão além das definições normais dos fatos ou da lógica baseada em dados. Algo que só faz sentido se você puder ver uma imagem maior da realidade. Talvez seja aí que a fé se encaixe.

A cabana é o local onde o crime aconteceu. E sempre que Mack pensa em toda situação, ele a chama de A grande tristeza, pois foi o momento mais doloroso para toda sua família.

Depois de alguns anos, Mack recebe em sua casa um bilhete assinado "Papai", pedindo para que ele vá até a cabana. A principio ele pensa em recusar, mas no fim acaba aceitando e vai até o local. Ao chegar, ficou surpreso, pois o local apresentava diferenças em relação à última vez que fora até lá. Mack conhece Papai, uma negra sorridente que também atende por Elousia, Jesus e Sarayu.
A Verdade irá libertá-lo, e a Verdade tem nome. (,,,) E a liberdade é um processo que acontece dentro de um relacionamento com ele. Então todas essas coisas que você sente borbulhando por dentro vão começar a sair.

O livro é sobre um pai que perdeu a filha, mas é, acima de tudo, sobre perdão, sobre a relação deste pais com Deus. Se pretende ler o livro com intenção de ler algo fiel à Bíblia, não leia, pois não encontrará, apesar de ter os mesmos princípios. 

É uma leitura extremamente apaixonante. Tem lições que podemos levar para o resto da vida. A cabana é o típico livro que todas as pessoas de fé precisam ler, pois nos mostra como o amor de Deus é grande, e a cada página lida nos aproxima cada vez mais Dele.
Mackenzie, você não pode "produzir" confiança, assim como não pode "fazer" humildade. Ela existe ou não. A confiança é fruto de um relacionamento em que você sabe que é amado. Como não sabe que eu o amo, não pode confiar em mim.

É uma leitura que recomendo, independente de religião. Como já falei antes, o livro trata de fé e de como é importante perdoar. 

Todos sabem que estreou neste mês o filme A Cabana, baseado neste livro, não é mesmo?! Em breve taremos considerações a respeito do filme também.


0 comentários:

Postar um comentário