Resenha || As Quatro Estações do Amor #3 | Pecados no Inverno | Lisa Kleypas | Editora Arqueiro


Pecados no Inverno

Lisa Kleypas

Gênero: Romance de Época
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 256
Edição: 2016
Avaliação: ★★★★★
Sinopse:
Do quarteto de amigas, Evangeline Jenner é certamente a mais tímida. E se tornará a mais rica quando receber a herança de seu pai, acamado com tuberculose. Mas Evie não se importa com o dinheiro. Tudo o que deseja é estar ao lado do pai em seus últimos dias. Porém isso só será possível se ela puder escapar da casa dos tios que a criaram. E, para isso, sua única alternativa é casar-se – e rápido. Assim, ela foge no meio da noite para a casa do devasso lorde St. Vincent e lhe propõe casamento em troca de poder cuidar do pai. Para um aristocrata que precisa de dinheiro, essa é uma excelente proposta. Afinal, é difícil conquistar uma moça rica e solteira quando se tem a reputação de Sebastian – trinta segundos a sós com ele arruinariam o bom nome de qualquer donzela. Mas há uma condição na proposta de Evie: uma vez consumado o casamento, eles nunca mais dormirão juntos. Ela não será mais uma mulher descartada por ele com o coração partido. Se Sebastian realmente a deseja em sua cama, terá que se esforçar mais em sua sedução... ou entregar seu coração pela primeira vez na vida. Neste terceiro livro da série “As Quatro Estações do Amor”, Lisa Kleypas nos apresenta o relacionamento de duas pessoas muito diferentes, mas igualmente obstinadas. E dessa relação tão peculiar pode nascer um desejo impossível de conter e um sentimento forte demais para esconder. Quem disse que os cafajestes não podem amar?
Evangeline Jenner ou Evie, como prefere ser chamada, é uma moça tímida que sofre de uma gagueira que torna complicada a aproximação de qualquer pessoa a ela. Ou melhor, não complica mais, pois para as flores secas Annabelle, Lillian e Daisy nada é impossível e elas conseguiram tornar-se amigas de Evie, e ajuda-la em sua jornada nada fácil. 

Órfã e tendo crescido longe do pai, Evie foi criada por uma tia do tipo megera que quer casá-la com um primo para que este coloque as mãos em sua herança. Mediante os conflitos familiares que enfrenta, a solução para Evie foi partir em busca de um marido que assim como ela necessitasse de um casamento.


"Evie não conseguia entender como o inferno podia ter se transformado no paraíso de maneira tão repentina". 

E foi assim, em uma noite fria de inverno  - e sem a ajuda das amigas - que Evie foi parar na casa de Sebastiano lorde St. Vincent – para quem não lembra, esse personagem apareceu no segundo volume da série (resenha aqui) e não se saiu nada bem após ter tentado sequestrar Lillian Bowman (na tentativa de se casar com ela para faturar uma grana), já que estava falido.

Sabendo da situação de Sebastian e estando sem melhores opções, Evie propõe a Sebastian um casamente que seria útil para ambos, isso mesmo útil, sem amor, apenas um negócio que a ajudaria a se livrar da tia megera e a morar com o pai que estava em seus últimos dias de vida.

Não preciso nem dizer que lorde St. Vincent aceitou a proposta né? Os dois lados seriam beneficiados e ficariam felizes, Evie nem se importaria se ele continuasse vivendo a sua vida libertina. A única condição proposta por ela era que o casal passasse apenas uma noite juntos e depois cada um viveria a sua vida.

Só que o que nenhum dos dois imaginava era que surgiria uma atração imensa entre eles e... Bem, muitos acontecimentos marcaram a vida de Evie mesmo depois de casada: a morte do pai, a recusa das amigas ao seu casamento, a reabertura do clube de jogos do pai.


" - Você tem de aprender a ignorar o que as pessoas falam - murmurou Sebastian - Será muito mais feliz assim. Aprendi que enquanto o que falam sobre os outros frequentemente é verdade, nunca é quando se refere a nós". 

Evie viveu tudo isso ao lado de Sebastian, pois ele se recusou em deixá-la sozinha. E foi incrível ver como ele amadureceu e foi se tornando um homem admirável (ou melhor ainda mais admirável, pois eu já gostava dele em Era uma Vez no Outono).

Sei que venho falando isso a cada resenha dos livros dessa série, mas, é só a verdade dita pela mais nova fã da Lisa Kleypas: a cada livro essa série se supera! Esse livro foi uma surpresa incrível: Evie foi uma das personagens que menos apareceu até agora, talvez pela timidez. Mas, nesse livro pudemos conhecê-la e ver o quão forte ela é, toda a sua força ficava escondida atrás de sua gagueira.

Esse livro foi bem diferente dos outros da série que li até o momento. Aqui tivemos uma mocinha que inverteu a ordem das coisas: primeiro casou (por um motivo extremo) e só depois se permitiu apaixonar por um homem que esteve ao seu lado nos piores momentos. E que provou merecer estar ao seu lado, mesmo tendo conhecido Evie e casando com ela apenas por interesse.

"Às vezes, a distância entre duas almas acabava por uni-las".  

O que mais eu posso dizer? Leiam, leiam e leiam esse livro, essa série e também romances de época, pois em meio ao clichê sempre é possível se deliciar com as histórias que nos fazem rir, suspirar e devorar cada página de tanta ansiedade. Boa leitura! 

0 comentários:

Postar um comentário