Review || 13 Reasons Why | Netflix

Olá, leitores e leitoras, tudo bem com vocês?
A review de hoje é sobre a série mais comentada ultimamente, 13 reasons why. Série original do site de streaming Netflix, criada por Brian Yorkey. Selena Gomez é uma das produtoras. Contém treze episódios já disponíveis e já foi confirmada a segunda temporada. A série é adaptada do livro de mesmo nome do Jay Asher. No Brasil, tanto o livro como a série são conhecidos por Treze por quês


O elenco principal é formado por:

Dylan Minnette como Clay Jensen
Katherine Langford como Hannah Baker
Christin Navarro como Toni Padilla
Brandon Flynn como Justin Foley
Alisha Boe como Jessica Davis
Justin Prentice como Bryce Walker
Miles Heizer como Alex Standall
Kate Walsh como Mrs. Baker
Ross Butler como Zach Dempsey
Devin Druid como Tyler Down
Amy Hargreaves como Lainie Jensen
Derek Luke como Mr. Porter
Brian d'Arcy James como Andy Baker



Hannah Baker é uma adolescente que comete suicídio devido a vários acontecimentos ruins em sua vida. Vitima de bullying, machismo e piadas de diversas maneiras, Hannah se fecha em seu mundo com medo de confiar nas pessoas, pois sempre que o fazia algo de ruim acontecia.

Antes de se matar, Hannah envia uma caixa de sapato contendo fitas cassetes para todas as pessoas que ela considerava ter contribuído para o seu suicido. Quando Clay Jensen recebe a caixa em sua porta, contendo 13 fitas cassetes, fica extremamente confuso. Porém, ao se dar conta de que se trata de Hannah, a garota por quem ele era apaixonado, Clay encontra uma maneira de ouvir as fitas. A caixa deveria passar por todas as pessoas citadas.


Ao decorrer das fitas, Hannah lista treze pessoas e o motivo dessa pessoa ser considerada um porquê para a sua morte, além de contar crimes que tais pessoas cometeram com ela e com outros. Em algumas fitas Hannah conta sobre abuso sexual, stalkers, homossexualidade, um acidente de carro que teve como consequência a morte de uma pessoa querida, brigas entre seus amigos e bullying de diversas maneiras.

Cada pessoa recebe uma fita. Então cada episódio Hannah fala um porquê. É usado o recurso de flashback, conforme Clay vai ouvindo as fitas, Hannah também narra os acontecimentos em tempo real. É possível diferenciar passado e presente devido a um curativo que Clay tem em sua testa, em que se machucou ao cair de bicicleta enquanto ouvia uma das fitas da amiga.

A partir do episódio nove, a série realmente começa a abordar assuntos mais sérios. São cenas fortes e com um conteúdo muito difícil de ser discutido, é importante ter cautela ao assistir, pois se de alguma maneira você não se encontra com um psicológico bem estabelecido, as cenas que são mostradas podem ser muito fortes. 


Em relação a trilha sonora, a fotografia e atuação, a série é excelente. Apesar de terem atores que nunca atuaram antes, ninguém deixou a desejar. Kate Walsh foi impecável na sua atuação como mãe de Hannah, assim como Katherine Langford que em seu primeiro papel conseguiu mostrar o quão talentosa é.

De acordo com algumas entrevistas que os atores estão dando, a série tem o intuito de ajudar quem sofreu as mesmas situações que a Hannah ou quem está passando pelos mesmos problemas. Enquanto eu assistia eu não vi dessa maneira e conversando com pessoas que passaram pelos mesmos problemas que a personagem, as mesmas também não viram dessa forma.

Para quem quer assistir, antes de tudo deve estar preparado, pois como foi dito acima as cenas são realmente fortes e intensas, principalmente por que não há cortes da grande maioria delas. 

A série contém treze episódios para contar o porquê da personagem ter se matado, esses episódios poderiam ter sido reduzidos em pelo menos nove. Foram abordados assuntos excelentes para ter discussões em sala de aula, com seus pais, amigos etc, porém não souberam explorar, mostraram como é fácil adolescentes conseguirem drogas licitas e ilícitas, armas, terem relação sexual sem prevenção, o cyberbullying sem punição e muitos crimes que por medo de serem "dedo duro" não contam aos pais, ou a direção da escola e principalmente, para a policia. 


A série não mostra para quem sofre depressão que ela pode pedir ajuda e que isso não é errado ou vergonhoso, por que a Hannah era depressiva, desde o inicio da série é notável isso, e eles banalizaram essa doença. A depressão dela foi aumentando cada dia mais, e a mesma tentava apagar tudo e escrever uma nova história todo dia, então eles deixaram lá nas entrelinhas "Será que é, será que não é depressão? Será que é frescura de adolescente?". Muitas pessoas estão comentando que o Clay poderia ter salvado a personagem de tudo aquilo se ele tivesse amado a mesma, e depressão não é romance. É lindo em histórias, mas na pratica não. Infelizmente, nem sempre o amor é suficiente. 

A série não foi feita para quem tem problemas, a série foi feita para mostrar o quão mau você pode fazer a alguém, mesmo que sem intenção. É uma ótima maneira de ter discussões sobre o assunto, e tirar lições para que você nunca seja um por que.

Eu recomendo a série, pelas lições que a mesma pode nos proporcionar em não agir como esses adolescentes agiram com a Hannah. Mas não recomendo para quem acredita que de alguma forma pode encontrar algum conforto enquanto assiste, porque acho pouco provável que consiga. 

0 comentários:

Postar um comentário